Política

Movimentos do Ceará levam cerca de 600 pessoas para o “Ocupa Brasília”

Manifestantes vão acampar em Brasília para pedir a saída do presidente. Foto: Divulgação

O Ceará será representado por cerca de 600 pessoas na manifestação em Brasília que vai pedir a saída do presidente Michel Temer (PMDB) da presidência da República.

A mobilização havia sido motivada para barrar a tramitação das reformas da previdência e trabalhista, mas mudou o foco desde que gravação de conversa entre o presidente e o dono da JBS, Joesley Batista, indica suposto crime de responsabilidade, como obstrução de justiça.

Com a pauta das reformas paralisadas no Congresso, o foco maior dos manifestantes é pressionar para uma renúncia do peemedebista, após a intensificação da crise política em Brasília, e a aprovação da cassação da chapa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os grupos querem eleições diretas presidenciais.

A Central Sindical e Popular (CSP) Central Única dos Trabalhadores (CUT) alugaram nove ônibus e deixaram o Ceará rumo à Capital do País no último domingo, 21. As 450 pessoas devem chegar na manhã desta quarta-feira, 24. Pelo menos 120 pessoas viajam de avião para o protesto.

Sinpol Ceará participa de movimento

A diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e de Carreira do Ceará (Sinpol Ceará) embarca nesta terça-feira, 23, para Brasília, com um grupo de 35 policiais civis, para se juntar aos manifestantes de diversos movimentos sociais que pedem a saída de Temer do Palácio do Planalto.

O movimento dos policiais é contra a tramitação da reforma da previdência que, segundo a categoria, traz prejuízos para profissionais de segurança pública. Na última manifestação de policiais contra a reforma da previdência, em 18 de abril deste ano, o grupo tentou invadir a chapelaria do Congresso Nacional. Houve tumulto, e vidraças do prédio foram quebradas.

Na época, a manifestação foi convocada pela União Policiais do Brasil (UPB). A Polícia Legislativa chegou a usar spray de pimenta e bombas para dispersar o conflito. No protesto desta quarta-feira, 24, os policiais se juntam a outros grupos também descontentes com as medidas do Governo Federal.

A expectativa, segundo os organizadores, é colocar cerca de 100 mil pessoas na mobilização.

Recomendado para você