Varanda Casa Azul

Startup precisa de Identidade Corporativa ou só de Imagem?

197 1

Texto por Luiz Santos, da LS Estratégia. Cursou Comunicação Social com especialização em Propaganda. Em 30 anos no Rio de Janeiro, trabalhou em algumas das maiores agências de propaganda e veículos de comunicação do mundo, como criativo, redator e diretor de criação. J.W.Thompson, Norton Publicis, MPM, Tv Globo, entre outros. Atendeu a clientes dos mais diversos segmentos, nacionais e multinacionais, incluindo governos federal e estaduais. Para baixar a adrenalina, é triatleta, maratonista e motociclista.

 

Eu sempre fui fascinado pela forma de empreender da galera que cria suas startups. Quando eu me desliguei quase que totalmente do processo de criação publicitária e parti com intensidade para a definição de Identidade Corporativa, de vez em quando me vinha à cabeça tentar saber como essa turma lida com este tema. Identidade Corporativa, do jeito que deve ser para atender à crescente demanda dos consumidores, não fez parte do cotidiano de empreendedores, profissionais de marketing e publicitários pelo menos nos últimos 100 anos.

Porque cuidar da Imagem era o suficiente. Mas a sociedade mudou, o poder dos consumidores aumentou, junto com seu nível de exigência. A Era da Imagem acabou. Cada vez mais, para que um cidadão se transforme em cliente, admire, fidelize e recomende, a empresa precisa ser o que fala.

 “Ser” diz respeito à Identidade. “O que fala” diz respeito à Imagem.

“Ser” diz respeito à Identidade. “O que fala” diz respeito à Imagem. Sem coerência entre os dois, o consumidor rejeita, não recomenda e em alguns casos promove boicotes. E olha que esta coerência é cobrada em cima de valores nobres, empresas transparentes, ligadas na elevação da qualidade de vida e dos valores.

Como eu fui formado profissionalmente pra criar Imagens, e sei como foi difícil minha mente assimilar esta transformação, minha curiosidade se voltava para quem não teve essa influência. As startups eram perfeitas para me demonstrar isso.

Fiquei surpreso com a reação positiva da turma que conheci na Casa Azul. Urbis e Mercadapp se tornaram clientes. O conceito de Identidade Corporativa foi bem aceito. Fiquei com a impressão de que, para eles, ao constatar que apenas tecnologia e inovação não seriam diferenciais exclusivos, ter uma Identidade seria a coisa mais natural a fazer.

Claro que a Imagem, tecnicamente, vai continuar sendo um dos principais patrimônios de uma empresa. Mas somente a Imagem, construída a partir de atitudes, de ações, de propósitos, de valores. Esse pacote de coisas só pode ser otimizado se estiver aglutinado de forma conceitualmente unida. A isso eu chamo de Identidade.

A Mercadapp, por exemplo, foi além do aplicativo que faz a pessoa economizar tempo. Isso ela e todos os concorrentes fazem. Ela se definiu como quem contribui para que a pessoa economize tempo e estimula que esse tempo seja utilizado da melhor maneira possível. Os exemplos estão lá, pra você conferir.

Bom, foi um dos projetos mais bacanas em que me envolvi em todo esse tempo cuidando de Identidade.

Eu estava na fase de acabamento do Cresça e Apareça, um produto que eu desenvolvi para compartilhar de forma online os conhecimentos e um método para pequenas e médias empresas definirem e implantarem sua Identidade. Com a convicção de que em 90% das empresas, o dono é dono da empresa, mas não é dono da sua Imagem, justamente porque não tem uma Identidade, sugeri que a gente fosse vendo os vídeos do Cresça e Apareça e fazendo cada etapa do processo. Foram momentos ricos, com muitas informações já recolhidas e outras novas, mas ali, naquele momento, reunidas e aglutinadas com o objetivo de entender e definir Identidade para consolidar Imagem. Um processo diferente. E foram dias empolgantes.

No Cresça e Apareça, você encontra vídeos com o Luiz e Igor, da Urbis, e a Larissa e o Gabriel, da Mercadapp descrevendo suas experiências.

Minhas descobertas foram muito legais, enriquecedoras. E me deram a certeza de que quando o empreendedor encontra o canal emocional de contato com suas personas, abre-se um espaço para um relacionamento leal, amigo, que acaba se traduzindo em bons e éticos negócios.

A Urbis está construindo seu caminho. A Mercadapp já tem números percentuais expressivos sobre sua participação nas vendas online de supermercados. E tem também histórias muito bonitas, totalmente ligadas ao conceito definido em sua Identidade.