Varanda Casa Azul

Como ir de “apagar incêndio” a crescer 300% com sua startup

Nos últimos 6 meses, estive trabalhando em uma startup, com uma missão: fazê-la crescer. O cenário que essa startup se encontrava era um bastante comum: estava em um ritmo de operação para “apagar incêndios”. Era uma operação que buscava entregar o produto para seu cliente e resolver os problemas no meio do caminho. Basicamente, fazer a startup sobreviver. Em decorrência disso, a quantidade de clientes se mantinha sempre na mesma faixa, sem crescimentos expressivos.

Quando entrei, mesmo sem entender do assunto, pensei em testar canais de marketing para uma melhor conversão de clientes. Assim, comecei a execução. Na primeira campanha de marketing já sentimos o resultado, e tivemos um crescimento de 300% de um mês para outro, números nunca alcançados em mais de um ano de operação da startup. O motivo disso era claro: o foco do trabalho anteriormente estava somente na sobrevivência.

Startups que buscam somente ganhar mais tempo de vida no modo “apagar incêndios” na verdade estão fazendo seus colaboradores e sócios perderem esse tempo. É uma perda de tempo porque se alonga ainda mais a incerteza se o negócio tem um fit com o mercado ou não, e nesse ritmo podem se passar meses “gastando” investimento.

Com isso a principal lição que aprendi durante esse tempo, é uma já bastante conhecida pelo mercado profissional: foco em resultado. Todo mundo fala nisso, mas poucos são aqueles que realmente colocam em prática.

Você tem uma startup? Se sim, vamos pensar rápido, qual o principal objetivo do seu trabalho nela? É encontrar o produto perfeito? É fazer com que o time execute as ações de maneira eficiente?

O principal objetivo de uma startup deve ser a quantidade de clientes no mês, o seu faturamento, aquele indicador que mostra o crescimento do seu negócio e que ele tem valor. É obvio que devem existir objetivos intangíveis acima desse, como o propósito e a paixão pelo negócio. Mas você deve ter em mente qual é o seu objetivo tangível, aquele que você deve buscar todo dia.

No caso da startup em que eu estava trabalhando o nosso foco principal era na quantidade de assinantes todo o mês. Nós aprimorávamos o produto a cada mês pois sabíamos que aquilo influenciaria na retenção e no crescimento do número de assinantes. Fazíamos atividades administrativas, pois sabíamos que elas dariam o suporte necessário para o crescimento final. Eu acordava todos os dias pensando “o que podemos fazer hoje para alcançar um maior crescimento”, e esse pensamento movimentada todos os setores da startup em um mesmo objetivo.

Então analise o cenário atual de sua startup. Se você está apagando incêndios repense imediatamente o seu negócio. O que eu preciso para sair desse estado? É uma melhor organização? É colocar mais pessoas no time?

Faça essas mudanças, estabeleça o objetivo principal de sua startup, e faça todos dentro dela trabalharem em função dele. Crescimento deve ser uma meta de todas as áreas.

Agora você deve se perguntar. E como fazemos para crescer? Para essa pergunta não existe fórmula certa, se descobre com muitos testes. No meu caso, a startup era B2C, então íamos testando diferentes canais e formas de comunicação e vendo os seus resultados. Repetíamos aquilo que dava certo, tirávamos aquilo que não dava. Tinha pontos em que o que estava dando certo já não surtia tanto efeito, e tínhamos que pensar em novos canais de marketing. Vimos a importância que era investir em marketing, pois os resultados orgânicos não estavam compensando tanto. E fomos aprendendo como o nosso mercado respondia a cada teste que fazíamos.

Depois de todo esse esforço buscando o crescimento, pode acontecer de você não conseguir o mesmo. Isso pode significar que você deve dar um passo para traz e buscar validar melhor o seu negócio, ou mesmo que talvez o seu modelo não funcione. Mesmo que essas opções pareçam negativas, elas são aprendizados. Aprendizados que você pode conseguir de maneira rápida e que lhe poupará o tempo que você passaria tentando “apagar incêndios” em uma startup que não tem fit com o mercado.

Vejo muitas startups nesse modo de inércia e que precisam acordar e começar a perseguir aquilo que realmente importa: o crescimento de seu negócio.

Recomendado para você