Ancoradouro

Papa Francisco fala sobre o perigo da ideologia do gênero para a sociedade contemporânea

902 9

Desde quando era cardeal na Argentina o Papa Francisco rechaçava a ideologia do gênero e com ela a união entre pessoas do mesmo sexo e a adoção de crianças por pares homossexuais. Nada diferente do que ensina o magistério da Igreja que orienta o amor e o respeito às pessoas que fizeram esta opção, mas de forma alguma coaduna com a cultura homossexual.

Papa Francisco diz não à ideologia do gênero.

Papa Francisco diz não à ideologia do gênero.

O Papa chega a questionar se os desafios de confiar em Deus não tem raiz na crise de amor entre o homem e a mulher. “Pergunto-me se a crise de confiança coletiva em Deus não esteja relacionada à crise de aliança entre homem e mulher, já que a comunhão com o Senhor se reflete na comunhão do casal humano“.

Leia a íntegra da Catequese, aqui (Fonte: Portal Canção Nova)

As declarações do Papa foram repercutidas no Senado brasileiro. Na sessão plenária desta quarta-feira o senador Magno Malta ( PR-ES) repetiu o questionamento feito pelo pastor máximo dos católicos. ” O papa está de parabéns”, disse o senador que é evangélico e discursava na ocasião contra o aborto e a favor da família tradicional.

A catequese de Francisco chega em boa hora para os brasileiros, especialmente porque responde às dúvidas lançadas nesta semana por um padre conhecido nacionalmente. Através de sua conta no Twitter padre Fábio de Melo posicionou-se, ao contrário do que ensina a Igreja da qual ele membro ordenado, favorável á união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Confira uma postagem esclarecendo a situação

Padre Fábio de Melo defende união gay e recebe elogios do ex-BBB Jean Wyllys

Padre Fábio de Melo, conhecido pelos CDs e livros lançados, usou sua conta no Twitter  neste domingo, 12, para defender a união gay, falar sobre o estado laico e criticar o moralismo como “esconderijo de vergonhas particulares“.

Padre Fábio de Melo defende união gay.
Padre Fábio de Melo defende união gay.

As declarações do sacerdote geraram  confusão e contrariaram a muitos, embora tenha agradado aos fãs do politicamente correto, perfil da maioria de seus seguidores. A defesa do sacerdote também trouxe algumas contradições. 

Logo nas primeiras mensagens padre Fábio é enfático sobre a união gay. “A união civil entre pessoas do mesmo sexo não é uma questão religiosa. Portanto, cabe ao Estado decidir. O Estado decide através dos que são democraticamente eleitos por nós. São eles que propõem, votam e aprovam as leis”.

Padre Fábio de Melo defende união gay.
Padre Fábio de Melo defende união gay.

No passo seguinte o padre pretende ensinar aos vigários o padre nosso pondo na argumentação uma premissa bastante utilizada pelos laicistas: “aos líderes religiosos reserva-se o direito de estabelecerem suas regras e ensiná-las aos seus fiéis. E isto o Estado também garante”.

O padre famoso  deixa subtendido que os católicos só devem se preocupar com assuntos de sacristia. “Se sou cristão católico, devo observar o que prescreve a minha Igreja”. E mais: “as igrejas não podem, por respeito ao direito de cidadania, privar as pessoas, que não optaram por uma pertença religiosa, de regularizarem suas necessidades civis”.

Padre Fábio de Melo defende união gay.
Padre Fábio de Melo defende união gay.

O padre que defende a omissão de religiosos em assuntos de estado diz – contraditoriamente – o que este estado deve garantir: “se duas pessoas estabeleceram uma parceria, e querem proteger seus direitos, o Estado precisa dar o suporte legal”. Mais uma vez o sacerdote volta a defender que  o assunto de extrema relevância “só nos tocaria se viessem nos pedir o reconhecimento religioso e sacramental da união”. 

O sacerdote vacila ao  desconhecer o que ‘prescreve a Igreja” sobre o assunto. Coisa que de acordo com sua argumentação deveria ser o primeiro a se submeter. Na Considerações sobre os projetos de reconhecimento legal de das uniões entre pessoas do mesmo sexo“, a Congregação para a Doutrina da Fé é clara ao apresentar os pontos contrários a tais projetos.

Padre Fábio de Melo defende união gay.

“A Igreja ensina que o respeito para com as pessoas homossexuais não pode levar, de modo nenhum, à aprovação do comportamento homossexual ou ao reconhecimento legal das uniões homossexuais. O bem comum exige que as leis reconheçam, favoreçam e protejam a união matrimonial como base da família, célula primária da sociedade. Reconhecer legalmente as uniões homossexuais ou equipará-las ao matrimônio, significaria, não só aprovar um comportamento errado, com a consequência de convertê-lo num modelo para a sociedade atual, mas também ofuscar valores fundamentais que fazem parte do patrimônio comum da humanidade. A Igreja não pode abdicar de defender tais valores, para o bem dos homens e de toda a sociedade“, diz a conclusão do texto.

O documento também rechaça a argumentação de padre Fábio de Melo  tomada dos movimentos LGBT  quando defende que “se duas pessoas estabeleceram uma parceria, e querem proteger seus direitos, o Estado precisa dar o suporte legal”. O texto eclesial que deveria ser seguido pelo sacerdote poeta  diz o seguinte: “Não é verdadeira a argumentação, segundo a qual, o reconhecimento legal das uniões homossexuais tornar-se-ia necessário para evitar que os conviventes homossexuais viessem a perder, pelo simples facto de conviverem, o efetivo reconhecimento dos direitos comuns que gozam enquanto pessoas e enquanto cidadãos. Na realidade, eles podem sempre recorrer – como todos os cidadãos e a partir da sua autonomia privada – ao direito comum para tutelar situações jurídicas de interesse recíproco. Constitui porém uma grave injustiça sacrificar o bem comum e o recto direito de família a pretexto de bens que podem e devem ser garantidos por vias não nocivas à generalidade do corpo social”.

Padre Fábio de Melo defende união gay.
Padre Fábio de Melo defende união gay.

Padre Fábio quis justificar suas declarações favoráveis a união civil apelando para um argumento religioso, a misericórdia. Mais uma contradição do sacerdote que rebateu as críticas ferrenhas que recebera pelas palavras chamando de moralistas os críticos. Em suma o sacerdote usou do mesmo expediente que militantes LGBT utilizam no debate. Rotular de homossexual enrustido que se declara contra a união gay.

Claro que o sacerdote não utilizou estas palavras. Empregou todo seu arsenal de metáforas para passar a mensagem: “Respondendo aos anseios de nossa crueldade, condenamos nos outros, os erros que não suportamos em nós mesmos. O moralismo é para muitos o esconderijo de vergonhas particulares”.

jean2

O discurso do padre agradou a um dos mais contumazes críticos da fé católica, dos bons costumes e da família, o ex-BBB e deputado federal Jean Wyllys. O militante também usou o Twitter para fazer ode ás palavras doces do padre poeta. “Obrigado, @pefabiodemelo, por vir a público em defesa do Estado laico, dos direitos civis de LGBTs e da diversidade”.

Padre Fábio de Melo perdeu uma ótima oportunidade de defender o que “prescreve a Igreja”: “Há que abster-se de qualquer forma de cooperação formal na promulgação ou aplicação de leis tão gravemente injustas e, na medida do possível, abster-se também da cooperação material no plano da aplicação. Nesta matéria, cada qual pode reivindicar o direito à objecção de consciência”.

Recomendado para você

9 Comentários

  • Ana Carolina Sá disse:

    O padre Fábio de Melo deveria pensar antes de falar besteira, pois nosso foco é ajudar essas pessoas a não apoiar o que elas defendem e querem fazer, vamos ver de novo o que aconteceu na Babilônia? Deus é bem claro, Ele abomina o homossexualismo, mas Ele não abomina a pessoa que se diz homossexual, mas o ato em si, e eu acredito que possa existir sim uma nova visão de dizer não aos desejos da carne, mesmo sendo que muito difícil. Nós não somos tão fracos como achamos que somos a ponto de nos entregarmos a esses desejos sujos. Devemos manter uma vida reta, sempre procurando mais de Deus.

  • Jaelita Nazareth disse:

    Prezado Pe. Fábio… CUIDADO! Não permita que a fama (e portanto o desejo de agradar a grupos específicos) empane o seu entendimento como já ocorreu a muitos! Não defenda algo que você sabe perfeitamente que Deus condena. O bem de TODA humanidade SEMPRE foi de interesse de Deus que a criou. E você sabe que a homossexualidade não é um bem para a humanidade e sabe também que Deus criou o homem e não o homossexual. Que o homossexual é um HOMEM que decidiu se rebelar contra o propósito de Deus na vida dele por motivos lamentáveis diversos que acreditamos necessita de ajuda. Sabemos que Deus JAMAIS faz acepção de pessoas e as Escrituras dizem que Deus abomina a discriminação das pessoas. Deus nunca fez separação entre os cristãos e os não cristãos em relação às Suas leis., as quais foram todas criadas para o bem da humanidade com um todo! Portanto CUIDADO! Não perca a bênção que Deus tem dado ao seu Ministério para agradar a grupos. Muitos famosos do passado caíram por se desviarem dos mandamentos de Deus para agradar a um “povo” específico e de interesse.

  • SP 25 de junho de 2015 – 06 h 30 AM !

    A opção pelo sacerdócio (padre ou freira consagrados), nos convida e condiciona a disciplina e
    hierarquia ! O Médico, o Advogado, como exemplo, tëm que observar seus respectivo Código de Ética e Estatutos de conduta, sob pena de processo disciplinar, cujas penas vão de advertëncia ä expulsão dos quadros aos quais pertencem ! Com a vida sacerdotal não é diferente ! O senhor, cidadão (já que ele prefere este escudo para falar o que pensa), Fábio de Melo, fosse realmente inteligente e temente a Deus, faria um grande favor ao Santo Papa Francisco (que por várias ocasiões já disse da necessidade do católico manifestar sobre política, quando essa tendo a abalar os tradicionais valores cristãos), deixasse a batina sacerdotal (

  • Rita Aranha disse:

    Na ânsia de defendermos posições político-partidária-ideológica-religiosas, nos furtamos de tentar entender e analisar friamente o que está escrito, ou seja, não se interpreta o texto corretamente. Na minha opinião, segundo interpretei as palavras do padre Fábio, ele apenas citou o que compete à igreja e o que compete ao estado, não se posicionando contra ou a favor!
    No entanto, como devemos nos posicionar perante o que acreditamos, as pessoas públicas tem que tomar muito mais cuidado para que suas opiniões não tenham sentido dúbio…
    Sou católica, praticante e não concordo com qualquer tipo de discriminação, mas me senti ofendida, quando na passeata gay, aqueles que se dizem discriminados, degradavam a imagem e os símbolos da minha fé. Quem deseja respeito, tem a obrigação de respeitar o outro.

  • Frederico disse:

    Lamentável alguns comentários do Padre Fabio, ele é muito inteligente, mais ao mesmo tempo totalmente influenciado pelo meio onde atualmente se coloca… Gostaria de dizer e ele sabe disso, Deus ama o pecador, mais abomina todo pecado. Sejamos práticos , não é mesmo Padre Fabio! Como chegaremos ao Céu com este comportamento medíocre ? É uma pena, que para agradar pessoas, tenha pronunciado tantas frases elaboradas , que com absoluta certeza , agrada aos praticantes da sodomia, mais desagrada e ferem os planos de Deus.

  • jose aparecido disse:

    Este padre é uma vergonha para a igreja católica, deveria ser expulso do sacerdócio. Já não é a primeira vez que fala contrario aos ensinamentos de Deus, é LAMENTÁVEL este posicionamento. Fere profundamente a família cristã. Sendo que a verdadeira salvação para este mundo caótico é a estrutura da sagrada família, Pai – Mãe e filhos.

  • Valcir Marquesini disse:

    Pr.Fábio de Melo, sou teu fã mas senti em Deus a necessidade de te evangelizar,mesmo sabendo que vc é altamente abalisado naquilo que faz…Pelo amor de Deus e de sua ordenação sacerdotal, seja mais direto e com menos metáforas, vc sabe, “o principe deste mundo, o diabo, cegou a inteligência dos ententidos pra que não resplandeça sobre eles a Glória de Deus”. Vamos nos unir e Orar mais e falar menos… O próprio Jesus pra defender uma causa, sempre orava ao Pai a noite inteira, Daniel orava 3 vezes ao dia e quanto mais nós miseros, o quanto precisamos orar…O nosso Reino está divido e se assim continuar ele não vai subsistir, isto é biblico… Eu só te peço Padre, que sejais como Elias, quando ia orar pra cair chuva do céu, diz a bíblia que fazia 3 anos que nao chovia em Israel, e naquela ocasião as 12 tribos estavam divididas no reinado de Acab e Jezabel.Então Elias construiu um templo com 12 pedras que representava as 12 tribos e uniu grande parte do povo e só assim conseguiu exito na oração, ai sim caiu chuva do céu… Pois bem, eu lhe convido Pr.Fábio e tds os Brasileiros, vamos orar em defesa desse único projeto que foi pensado, estudado e sonhado por Deus, ” A FAmília tradicional”.Enfim deixo lhe uma pergunta: Não acha que já é hora de nos unir num só objetivo ?? Amém, fiquemos tds com Deus. Valcir

  • ericson disse:

    Gente se você é um cristão que crê em Deus e na Sua palavra a Bíblia, você irá crer que Deus criou homem e mulher. Não criou um ser dividido ou confuso em sua sexualidade.

    Ocorre que se você não crê em Deus, ocorre o que é descrito na carta de Paulo aos Romanos capitulo 1:20 Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis;

    21 porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e o coração insensato deles obscureceu-se.

    22 Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos

    23 e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis.

    24 Por isso Deus os entregou à impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coração, para a degradação do seu corpo entre si.

    25 Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém.

    26 Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza.

    27 Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão.

    28 Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam.

    A questão de gênero só existem para quem não crê em Deus.

    Agora se você crê em Deus, não haverá conflito com sua sexualidade, você será homem se nasceu homem, ou mulher se nasceu mulher.

  • Sone disse:

    Eu acho que antes de julgar o padre sobre esta questão vale lembrar que muitas dessas pessoas ajudam muito a igreja,são disimistas.Quanto ser humano mesquinho,então vamos fazer igual Ritler?Pegar e sair matando todo mundo que achamos que é errado?Que palhaçada!Deus morreu por nós ja não foi atoa,pra cada um ter a liberdade de viver como quiser.Quanta inguinorancia do ser humano.Cabe a Deus julgar,é o que eu acho

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *