Ancoradouro

Bispo de Iguatu renuncia por motivo de saúde

Papa Francisco aceitou o pedido de renúncia de Dom Edson de Castro Homem, até então Bispo da Diocese de Iguatu, no Ceará. A informação foi confirmada nesta manhã de quarta-feira, dia 24, pela Nunciatura Apostólica do Brasil.

Dom Edson de Castro Homem.

A renúncia de Dom Edson se dá por motivo de saúde, segundo informações do departamento de comunicação da Diocese, agora vacante. Ainda nesta quarta-feira, Dom Edson concederá entrevista coletiva, às 17h.

No dia 19 de março será a Missa em Ação de Graças pelo serviço de Dom Edson. Na ocasião, o Bispo emérito, de origem carioca, receberá o título de cidadão cearense.

O Código de direito Canônico, no artigo 401,  prever a renúncia de um Bispo quando este completa 75 anos ou em caso de doença, além de outros motivos que o impossibilite exercício do serviço.

Confira o artigo 401 do Código de Direito Canônico

Cân. 401 § 1. O Bispo diocesano, que tiver completado
setenta e cinco anos de idade, é solicitado a apresentar a
renúncia do ofício ao Sumo Pontífice, que, ponderando todas
as circunstâncias, tomará providências.

§ 2. O Bispo diocesano que, por doença ou por outra causa
grave, se tiver tornado menos capacitado para cumprir seu
ofício, é vivamente solicitado a apresentar a renúncia do
ofício.

Trajetória eclesial

Filho de Lazaré Andrade Homem e Maria Hercília de Castro Homem. Fez seus estudos de Filosofia e Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Sua ordenação sacerdotal ocorreu em 18 de outubro de 1977, no Rio de Janeiro. Fez o doutorado em Teologia Espiritual, em 1981, na Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma e também o doutorado em Filosofia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, concluído em 2004. Foi professor de Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, no Instituto Superior de Teologia da arquidiocese, no Instituto de Filosofia e Teologia de São Bento; e professor de Filosofia no Instituto de Filosofia João Paulo II e na Universidade Católica de Petrópolis.

Foi pároco das paróquias: Nossa Senhora Reparadora, em Del Castilho; Maria Mãe da Igreja e São Judas Tadeu, em Padre Miguel; Nossa Senhora da Luz, no Alto da Boa Vista e São Lourenço, em Bangu. Foi diretor do Instituto Superior de Teologia da arquidiocese do Rio de Janeiro e diretor espiritual do seminário menor do Rio de Janeiro. Dom Edson foi prefeito de disciplina do seminário maior da arquidiocese do Rio de Janeiro. Coordenador da Comissão para o Diaconato Permanente e assistente eclesiástico dos ministros extraordinários da Sagrada Comunhão. Foi membro da Comissão Arquidiocesana para a Doutrina da Fé, do Conselho de Pastoral da Arquidiocese e do Conselho de Consultores.

Foi eleito bispo em 16 de fevereiro de 2005 pelo Papa João Paulo II com a sede titular de Muzia, ocorrendo a sua ordenação episcopal no dia 12 de março de 2005, na cidade do Rio de Janeiro. Dom Edson escolheu como lema de vida episcopal: Sufficit tibi gratia, “Graça te basta”.

Na Arquidiocese do Rio de Janeiro, dom Edson desempenhou os seguintes encargos: animador dos Vicariatos Episcopal Urbano e de Jacarepaguá. Animador do Diaconato Permanente, da Associação Cultural, das Faculdades Católicas, do Instituto Superior de Direito Canônico, da Assistência Religiosa ao Menor Privado de Liberdade, de cursos de Doutrina Social e da Pastoral do Menor no Regional Leste I da CNBB. Também foi diretor do Instituto Superior de Teologia e do Instituto Superior de Ciências Religiosas.

No dia 6 de maio de 2015, o Papa Francisco nomeou-o como bispo diocesano de Iguatu (CE), transferindo-o da sede titular de Muzia e do ofício de auxiliar na arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Com informações da CNBB

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *