Cinema às 8

Fugindo do cotidiano em “Já Não Me Sinto em Casa Nesse Mundo”

Elijah Wood e Melanie Lynskey

Sempre em evidência durante o mês de janeiro, o Festival de Sundance é um dos principais palcos para novos cineastas independentes apresentarem seus trabalhos para o público e, quem sabe, conseguirem distribuição por parte de um grande estúdio. Para citar exemplos recentes, os ótimos “Quarto Verde” e “A Bruxa” saíram do festival. No decorrer de 2017, novos lançamentos da edição deste ano devem ganhar as páginas de notícias. Sem perder tempo, a Netflix adquiriu os direitos de “Já Não Me Sinto em Casa Nesse Mundo”, vencedor de Melhor Filme deste ano.

Comandado por Macon Blair, o filme acompanha Ruth (Melanie Lynskey), uma mulher cuja existência apenas existe, mas não é relevante em momento algum. É ignorada em filas de supermercado, o marido de sua melhor amiga a detesta e nem a amiga parece interessada em seus assuntos. Após um furto a sua residência, ela decide sair da inércia e, ao lado de Tony (Elijah Wood) vizinho fã de artes, buscar os responsáveis pelo roubo e recuperar seus pertences.

Elijah “Cool Glasses” Wood

Logo de cara, é possível ver que esse não é um filme para todos. Repleto de cenas irônicas e de humor negro, o tom das situações em que a dupla de protagonistas se mete pode não ser do feitio de alguns.O fator absurdo de alguns dos causos, contudo, conseguem ser hilários, ainda que, por algumas vezes, acabem por ser excessivamente violentos.

A escolha dos atores não poderia ter sido mais acertada, dentro da proposta do filme. Dona de um corpo de uma “mulher comum”, Melanie consegue construir sua Ruth de forma crível e relacionável, ainda que seja triste para o espectador perceber que acabamos por não poder ser incríveis em todos os momentos, sempre recorrendo ao cotidiano e repetição da vida para continuarmos nossos dias. Já Wood, com um penteado horrendo, consegue ser carismático, mesmo com um personagem que, caso fosse vizinho de algum de nós, certamente correríamos de seu cachorro e suas espadas guardadas em casa.

Momento de usar o logo só para lembrar que está disponível na Netflix

Tecnicamente sem ousar, o filme se vende por sua história e personagens esquisitos. Por mais que determinadas situações sejam absurdas demais, é bom poder se relacionar com pessoas que poderiam muito bem coexistir conosco no mundo real. Até porque, no fundo, todos queremos uma grande aventura, mas tendo o conforto de nossas casas para retornar ao final do dia.

Por Hamlet Oliveira (hamletribeiro@gmail.com)

Cotação: nota 6/8

Ficha técnica:
Já Não Me Sinto em Casa Nesse Mundo
(EUA, 2017). De Macon Blair. Com Melanie Lynskey e Elijah Wood. Drama/comédia.

Recomendado para você