Clube da Luta

Balanço do primeiro trimestre de 2014 no UFC

Hendricks fez a melhor luta do trimestre no UFC. Foto: reprodução

Hendricks fez a melhor luta do trimestre no UFC. Foto: reprodução

O primeiro trimestre de 2014 já passou. Cinturões mantidos, novos campeões, incríveis nocautes e finalizações, lutas inesquecíveis, decepções, destaques, péssimos e ótimos eventos. Sim, teve de tudo nesses três meses no Ultimate Fighting Championship (UFC).

O blog Clube da Luta fez um balanço do primeiro trimestre do ano e listou o melhor evento, quem se destacou, a melhor luta, entre outros assuntos.

O melhor combate

Sem dúvida, a luta que valeu o cinturão do peso-meio-médio foi a melhor luta do ano de 2014, no UFC. Johny Hendricks e Robbie Lawler travaram uma verdadeira batalha e do jeito que o público mais gosta: com muita trocação e porrada! O barbudo garantiu o título por ter sido melhor em três rounds e venceu por decisão unânime. O novo campeão mereceu e empolgou como há tempos St. Pierre não empolgava.

Melhores eventos

Confesso que o UFC decepcionou um pouco no primeiro trimestre do ano quanto aos eventos. Porém, as coisas começaram a mudar em março. O UFC 171 (15 de março), com Hendricks x Lawler na luta principal, foi, de longe, o melhor evento do ano. Além dos dois, os duelos Myles Jury x Diego Sanchez, Hector Lombard x Jake Shields, Kevin Gastelum x Rick Story, Jessica Andrade x Raquel Pennington, entre outros, sacurdiram aquela edição.

O UFC em Natal também surpreendeu. Sem medalhões e repletos de brasileiros querendo um lugar ao sol, a segunda edição do Nordeste foi uma das melhores do ano. O card teve 11 lutas, nas quais sete terminaram em nocaute ou finalização e quatro em decisão. Além disso, o evento teve dois grandes nocautes: o cearense Godofredo Pepey nocauteou Noad Lahat com uma joelhada voadora e o norte-americano Dan Henderson acertou um soco potente em Maurício Shogun que quebrou o nariz do curitibano.

Quem se destacou

Ronda Rousey (campeã do peso-galo feminino)

Renan Barão (campeão peso-galo masculino)

José Aldo (campeão do peso-pena)

Tarec Saffiedine (peso-meio-médio)

Yoel Romeero (peso-médio)

Luke Rockhold (peso-médio)

TJ Dillashaw (peso-galo)

Alex Cáceres (peso-galo)

Donald Cerrone (peso-leve)

Jeremy Stephens (peso-pena)

Stipe Miocic (peso-pesado)

Abel Trujillo (peso-leve)

Alistair Overeem (peso-pesado)

Al Iaquinta (peso-leve)

Lyoto Machida (peso-médio)

Ronaldo Jacaré (peso-médio)

Erick Silva (peso-meio-médio)

Dong Hyun Kim (peso-meio-médio)

Alexander Gustaffson (peso-meio-pesado)

Michael Johnson (peso-leve)

Johny Hendricks (campeão do peso-meio-médio)

Hector Lombard (peso-meio-médio)

Fábio Maldonado (peso-meio-pesado)

CB Dollaway (peso-médio)

Rony Jason (peso-pena)

Godofredo Pepey (peso-pena)

Jussier Formiga (peso-mosca)

Eventos

Dos dez eventos, cinco aconteceram nos Estados Unidos, dois no Brasil, um na Inglaterra, um em Cingapura e um na China. O projeto de expansão do UFC continua, e o presidente Dana White revelou à publicação britânica Financial Times o valor da organização: cerca de R$ 8,1 bilhões. O valor mais do que triplicou nos últimos três anos. Ainda assim, o Ultimate segue cortando quem decepciona no octógono: Melvin Guillard, Ivan Menjivar, Cody McKenzie, Walt Harris e Mike Rio foram demitidos.

Cearenses

Três cearenses atuaram no trimestre: Renée Forte foi derrotado, mas Godofredo Pepey e Rony Jason venceram e se recuperaram no Ultimate.

(colaboração Daniel Santos)

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *