Clube da Luta

Depois de renovar com UFC, Felipe Sertanejo enfrenta integrante da Team Alpha Male no UFC Rio: “Estou pronto para este desafio”

Sertanejo na entrada da luta contra Maximo Blanco, no UFC Fight Night 46. Foto: Divulgação Integralmédica

Sertanejo na entrada da luta contra Maximo Blanco, no UFC Fight Night 46. Foto: Divulgação Integralmédica

Sem lutar pelo UFC desde fevereiro deste ano, mas com contrato recém-renovado, Felipe Sertanejo, enfim, vai poder deixar a ansiedade de lado e se preparar para entrar novamente no octógono. O brasileiro foi escalado para enfrentar o norte-americano Andre Fili, dia 25 de outubro, pelo UFC 179, no Maracanãzinho, Rio de Janeiro. Essa pode ser sua primeira sequência de vitórias na organização, e a chance de começar a se destacar na categoria peso pena (até 66,1kg).

Treinando há mais de dois meses, focado e aguardando uma definição do UFC, Sertanejo garante que já está totalmente recuperado das lesões que sofreu no joelho e na mão em sua última luta, na vitória por decisão unânime sobre Maximo Blanco, no UFC de Jaraguá do Sul (SC), e que seu melhor momento agora vai chegar.

+ Entrevista: Felipe Sertanejo renova com o UFC e revela desejo de enfrentar Frank Edgar

“Estou pronto, sem dor em nada. Já vinha treinando, não estava pensando em outra coisa. Até achei que seria escalado para algum card anterior a outubro e fora do Brasil, mas veio este e estou feliz. Será um evento importante, com a disputa do cinturão entre José Aldo e Chad Mendes, e é uma chance que tenho para de ficar em evidência. Vencer a segunda consecutiva na organização vai me dar mais destaque. Estou pronto para este desafio”, afirma o lutador que soma seis lutas na franquia, com três vitorias, um empate e duas derrotas, acumulando em seu cartel no MMA, 16 triunfos e seis reveses.

Felipe ainda admite que, até o momento do contato do UFC, não conhecia muito do trabalho de Andre Fili, mas tratou de começar a estudar o adversário, que fará apenas a terceiro luta na organização, tendo sido derrotado para Max Holloway, em seu último confronto – só perdeu uma outra luta na carreira, em 11 oportunidades, quando saiu lesionado. Fili é integrante da Team Alpha Male, academia liderada por Urijah Faber e que tem o campeão peso-galo (até 61, 2kg) do UFC, TJ Dillashaw, e tem um estilo de luta que, para Sertanejo, se encaixa bem ao seu jogo.

“Já comecei a ver vídeos dele. Fili é da trocação, assim como eu. Gosto disso. Quero lutar em pé. Pelo que estudei, também vi que tem um jiu-jitsu bom, mas parece que estou mais preparado para o combate. Vinha treinando, aprimorando todas as partes técnicas, só aguardando pelo UFC. Agora é iniciar o camp visando a forma de neutralizar os ataques”, confia, afirmando que alcançar os 66,1kg não será um problema: “Peso nunca me atrapalhou. Meu normal é 72kg ou 73kg. Então, em uma semana, chego rápido ao limite da categoria, sem passar por problemas. Estou muito pronto. Precisava entrar no octógono novamente”.

Desejo por ver Lucas Mineiro no mesmo card

Amigo pessoal e de treinos na Chute Boxe Diego Lima, Lucas Mineiro vive também a expectativa de ser escalado para lutar no dia 25 de outubro, no UFC 179. E enquanto a decisão da organização não sai, Felipe Sertanejo garante que está fica na torcida para o companheiro lutar no mesmo dia, já que ambos são da mesma categoria, o que ajuda na preparação. No UFC Fight Night 28, em Belo Horizonte, no ano passado, ambos estiveram no mesmo card e puderam se ajudar ainda mais na preparação.

“Seria excelente ter o Lucas lutando no mesmo dia do que eu. Ajuda na perda de peso, no camp, em tudo. Somos pesos-pena, então faremos todo o trabalho juntos. Aqui é um incentivando o outro. É um amigo e torço demais pelo sucesso dele. Se já é maravilhoso saber que voltarei a lutar, vai ficar melhor ainda se puder estar no mesmo card de um cara que considero meu irmão”, admite.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *