Discografia

Uma noite à francesa com Paula Tesser

Na noite do último sábado, 10, um sarau aconteceu no sétimo andar de um prédio localizado na Rua Vicente Leite. Formando uma autêntica roda de violões, por lá passou boa parte dos nomes que fazem e fizeram a música cearense. Vitoriano, Fábio Dória, Danilo Guilherme, Moacir Bedê, Oscar Arruda foram alguns dos convidados. Para coroar o encontro que acabou quando estouraram os primeiros de sol, o poeta Fausto Nilo também se fez presente.

O motivo desta sessão musical ia além da boa boêmia. A anfitriã, a cantora Paula Tesser, está em busca de repertório para seu segundo disco e, por isso, resolveu reunir compositores amigos para saber em que eles andam trabalhando. Também para testar novas sonoridades, timbres e formações, ela começa esta noite o projeto Canto sem eira nem beira, no L’Ô restaurante. A proposta é de, sempre na primeira quinta-feira de cada mês (esta sexta será em caráter especial), a cantora subir ao palco com músicos e músicas diferentes.

Para começar, a intérprete reservou apenas canções francesas, que vão do icônico Serge Gainsbourg até a jovem Zaz. O show, chamado Démons et merveilles (Demônios e maravilhas), teve o nome tirado de uma canção de Jacques Prévert escrita para o filme Os trovadores malditos (1942). Paula, que nasceu na França, mas mora desde os 10 anos em Fortaleza, conhece esse repertório indo e voltando e até aproveita para cantarolar algumas durante a entrevista no seu apartamento. “Eu dei esse nome ao projeto (Canto sem eira nem beira) por que é solto mesmo. Me obriga a testar novas fórmulas. E esse primeiro show é uma coisa que eu já queria há bastante tempo”, explica ela que vai estrear ao lado de Oscar Arruda (guitarra e violão), Fábio Amaral (baixo acústico), Régis Gomes (guitarra) e Daniel Alencar (bateria).

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=cV5EeDxIA6s[/youtube] 

Ainda sem nada fechado, ela já planeja coisas bem diferentes para as próximas noites, quem sabe usando guitarra e programações eletrônicas. “Meu primeiro trabalho tinha muito de Bossa Nova, que é algo que eu gosto bastante. Mas penso que minha voz cristalina não é incompatível com algo mais pop”, explica Paula que também convidou o roqueiro Jonnata Doll para seu sarau. “Ele é de um universo diferente do meu, mas foi bacana por que ele me mostrou aquelas composições que se pareciam mais comigo”, acrescenta a cantora.

De fato, depois de anos se dedicando mais à vida acadêmica e às duas filhas pequenas, Paula Tesser anda com fome de música. Dona de uma voz macia e sedutora, dessas que pega o ouvinte de primeira, ela lançou seu único disco em 2004, o delicado Retratos do Vento, com composições de Valdo Aderaldo, seu ex-marido. Durante uma longa temporada na França, onde concluiu o doutorado em sociologia, ela até montou alguns trabalhos e viveu uma experiência comum por lá que é cantar na rua. “É uma super escola. Quem para para lhe ouvir é por que realmente gosta, é por que foi fisgado”. Mas um segundo disco, isso ela ficou devendo.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=MmK8ScpVbBQ&feature=related[/youtube] 

Mas esse assunto ela resolve logo logo. Empolgada com seus projetos (cantar nas ruas de Fortaleza é um deles) e com as novidades que tem ouvido por aqui (“eu fiquei muito por fora do que estava acontecendo na Cidade”), Paula vem planejando com carinho cada detalhe desse novo trabalho, ainda sem previsão de lançamento. Mesmo que sua cabeça não deixe de fervilhar com tantas ideias e canções, ela quer que este segundo disco tenha uma personalidade própria. Mesmo que seja uma personalidade múltipla, que traga um pedaço de cada som que faz hoje no Ceará.

Serviço:

Show Démons et merveilles

O quê: estreia no projeto Canto sem eira nem beira, com a cantora Paula Tesser interpretando somente canções francesas

Quando: hoje (16), às 21h

Onde: L’Ô Restaurante (Av. Pessoa Anta, 217 – Praia de Iracema)

Quanto: R$ 15

Outras info.: 3265 2288