Discografia

Please, please me 50 anos: Conheça a história do primeiro disco dos Beatles

The Beatles - Please Please MeEra 11 de fevereiro de 1963, quando os Beatles entraram no estúdio Abbey Road para uma sessão esticada, de cerca de 12 horas de gravação. O objetivo desse tour de force era completar as 14 faixas do que viria a ser o disco de estreia do quarteto. Apenas quatro estavam prontas e já lançadas em single (Love me do, P.S. I love you, Please, please me e Ask me why). Deu trabalho, mas o resultado foi bem além de um disco de sucesso. Batizado de Please, please me, nome de uma faixa inspirada em Roy Orbinson, o álbum era o gatilho que faltava para a explosão que logo ganharia o nome de beatlemania.

Essa proeza realizada por John Lennon (na época com 22 anos), Paul McCartney (20), Richard Starkey (22) e George Harrison (19) era só o começo de uma história que os tornaria seres mitológicos e objeto de estudos pelo mundo inteiro. Tanto que nesta sexta-feira (22), quando Please, please me completa 50 anos do seu lançamento, homenagens pipocam pelo mundo inteiro. No caderno Vida & Arte e no blog DISCOGRAFIA, ao longo de toda essa semana, informações sobre os bastidores das gravações, a influência do disco, opiniões de fãs serão apresentados numa série especial.

Só garotos

A ideia original do produtor George Martin era que o primeiro álbum dos Beatles fosse gravado ao vivo e, de preferência, no Cavern Club. No entanto, as condições técnicas oferecidas pelo lendário palco inglês onde os Beatles estrearam seria um verdadeiro terror. Resolveram, então, transportar o clima ao vivo para dentro do estúdio dois da gravadora EMI, localizado no número 3 da rua Abbey Road. Nem é preciso dizer que hoje o lugar virou uma Meca para onde fãs vão fazer suas homenagens, artistas vão gravar seus discos (Pink Floyd e Roupa Nova entre eles) e todos vão repetir a famosa travessia sobre a faixa de pedestres.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=2vp6CsgncKw[/youtube]

A taste of honey, com Herb Alpert & Tijuana Brass

Voltando à gravação, é fato que os contras pesavam muito sobre os prós na manhã daquela segunda-feira, 11 de março de 1963, dia escolhido para as três sessões de gravação. Começa que os horários de estúdio deveriam ser cumprido à risca, começando às 10h e encerrando às 22h, com direito as dois intervalos para almoço e um chá no fim da tarde. Além disso, Lennon chegou meio gripado a Londres e tentou rebater o mal estar com pastilhas Zubes. E pra piorar a situação da sua garganta, nenhum deles abriu das carteiras de cigarro Peter Stuyvesant, nem o próprio Lennon. Algumas divergências quanto ao repertório também pairavam entre a banda e o produtor, mas nada que comprometesse o serviço.

The-Beatles-1963-the-beatles-31890892-1600-1022

Na contramão desse quadro, os Beatles contavam com uma energia extra, dada pelo sucesso dos seus recentes compactos. E foi contando com essa energia que, 10h20 daquele dia 11, o Fab Four fez o primeiro dos 10 takes de There’s a place. Essa foi uma das oito composições da dupla Lennon e McCartney (que época assinava como McCartney e Lennon) a entrarem para Please, please me. As outras seis, variavam entre sugestões de George Martin e coisas que eles já apresentavam ao vivo. Afiados pela rotina de shows, as gravações foram correndo num bom ritmo. Tanto que, além das 10 faixas programadas para o dia, eles ainda fizeram Hold me tight, que acabou entrando somente no disco seguinte.

Ao fim do dia, o quarteto estava exausto, amarrotado e dispostos aceitar tudo o que o produtor pedisse. Tirando os intervalos para ensaiar alguns detalhes e tomar leite, naquele dia de trabalho eles ofereceram tudo o que tinham. As gravações custaram à gravadora cerca de 400 libras (o que hoje seria algo em torno de R$ 1.194,92) e, com o tempo, acabaram rendendo alguns muitos milhões a boa parte dos envolvidos naquela empreitada.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=W89exAF0_s0[/youtube]

Love me do por Flaco Jimenez & Buck Owens

Please, please me chegou às lojas inglesas em 22 de março de 1963 em versão mono, trazendo na capa uma foto de Angus McBean feita com a banda no prédio da EMI (Martin pensou em fazê-la num zoológico). Bastou uma semana para que o disco chegasse ao primeiro lugar nas paradas. Em 26 de abril, seria lançada a versão em estéreo e depois, em 22 de julho, a versão americana, rebatizada para Introducing The Beatles. Daí em diante, muitas outras versões, releituras, adaptações, remasterizações seriam feitas para Please, please me. Emplacando um sucesso atrás do outro, eles permaneceram 30 semanas no topo da lista dos mais tocados, até serem vencidos pelo segundo disco deles próprios. Mas aí, já é outra história.

Obs.: Se você também já fez versão para alguma música do Please, please me ou conhece algum releitura bacana, envie o vídeo para marcossampaio@opovo.com.br e vamos fazer uma grande galeria de vídeos em homenagem ao FabFour

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.