Educação

Pesquisa aponta que pais acreditam que comerciais de fast food prejudicam hábitos alimentares dos filhos

“Publicidade para criança deve continuar existindo, mas deve ser feita de forma responsável”, afirma Rafael Sampaio, vice-presidente da Associação Brasileira de Anunciantes (ABA).

Segundo um levantamento encomendado pelo Instituto Alana, localizado em São Paulo (SP), quase 80% dos pais de crianças com até 11 anos acreditam que comerciais de fast food e outros alimentos não saudáveis prejudicam os hábitos alimentares dos filhos.

Para Sampaio, só deveriam ser dirigidas ao público infantil mensagens de produtos sobre os quais há consenso de que são apropriados. Entretanto, ele defende que isso seja feito de forma voluntária pelas próprias empresas.

“O Congresso americano cogitou a regulamentação da publicidade de alimentos, mas chegaram à conclusão de que a autorregulamentação é o caminho”, defende.

Fonte: O Estado de S. Paulo (SP)