Entre Aspas

[Clássico] Fortaleza recebe o espetáculo “Otelo”, de William Shakespeare, nos dias 11 e 12 de junho

Otelo - DIVULGAÇÃO (4)

Otelo é uma peça de paixões. Fala sobre ciúme, amor, traição, ambição, ódio, honra, e sobre como as aparências podem nos enganar e nos fazer chegar a consequências extremas. Os personagens são retratados como se estivessem mortos, como se a humanidade estivesse renascendo várias vezes e se repetindo num ciclo infinito. Como se saíssem de suas tumbas e, sobre elas travassem o embate filosófico que William Shakespeare nos propôs há 400 anos e que ainda soa assustadoramente atual.

Otelo - DIVULGAÇÃO (1) (1)

A iluminação é unilateral, propondo um jogo de sombras e indicando apenas um desfecho para essa trama. A trilha sonora é inspirada nos trovadores e repentistas, inspirada na obra de Caetano Veloso, mesclando poesia regionalista brasileira com eletrônico, e é executada pelos atores.

Com direção de Debora Dubois, a montagem apresenta um Shakespeare atemporal. Através da nossa cultura, mostra como ela seria contada em um tempo não definido, apesar de todos esses séculos que nos separam. Ou nos aproximam. Um espetáculo que pode ser visto por todos. Instigante e que nos pega de surpresa. Repensa a nossa sociedade e nossos valores através dos séculos, por meio da encenação de uma das maiores peças da história da humanidade.

Otelo - DIVULGAÇÃO (2)

Otelo ( Samuel de Assis), o mouro estrangeiro que com sua bravura alcança o posto de general do exercito de Veneza. É conhecido e respeitado por todos pelas suas façanhas militares. Ao preterir o alferes Iago ( Rafael Maia) para o cargo de tenente, ocupado pelo Florentino Miguel Cassio ( Ricardo Monastero), provoca sua ira ao insuflar ideias de ciúmes na cabeça do General, sugerindo que sua esposa esteja o traindo com o novo tenente.

Otelo, soldado de honra inabalável, mas inseguro sobre suas virtudes para manter uma mulher jovem e bonita como Desdêmona ( Samara Felippo), se deixa levar pelo discurso envenenado de Iago, e assim tomado pelos ciúmes, mata a esposa e suicida-se. Esta montagem foi indicada aos prêmios APCA 2015 (melhor ator) e Premio Revista Quem (ator e atriz).

Ficha técnica: 
Texto: Willian Shakespeare | Tradução: Maria Silvia Betti
Adaptação: Rafael Maia, Samuel de Assis e Glaucia da Fonseca
Direção e Concepção: Debora Dubois
Elenco: Samara Felippo, Samuel de Assis, Rafael Maia, Antonio Ranieri, Yael Pecarovich, Márcio Guimarães, Ricardo Monastero, Gláucia Fonseca e Daniel Bouzas
Direção Musical: Márcio Guimarães | Assistente de Direção: Gláucia Fonseca |
Cenário: Debora Dubois e Marcio Vinicius (Mais Cenografia) | Iluminação: Debora Dubois e Cesar Pivetti | Figurino: Marcio Macena | Visagismo: Leopoldo Pacheco | Direção de Movimento: Glaucia Fonseca | Comunicação Visual: Pietro Leal | Fotos de Divulgação: Luciano Alves |
Mídias Sociais: Hilário Junior | Consultoria Literária: Prof. Gilberto Martins | Consultoria Histórica: Ricardo Cardoso | Consultoria Jurídica: Hermes da Fonseca | Produção Executiva: Dani D’agostino |
Direção de Produção: Andreia Porto

Serviço:

Otelo, de William Shakespeare

Quando: 11 e 12 de junho, (sábado, às 21h e domingo às 20h)

Onde: Teatro Via Sul Shopping

Mais informações: 3048.1262

Texto: Eduardo Sousa e divulgação. | Fotos: Divulgação

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *