Fisioterapia & Saúde

Espiritualidade Fundamental. Por Dr.Rafael Prado

417 3

            Nossas escolhas fazem quem nós somos e é nisso que precisamos nos atentar. Até que ponto temos o alcance de tirarmos a dor do paciente? Podemos melhorar seu aspecto físico e assim mudar sua qualidade de vida, pois o mental, a atitude mental de como lidar com o mundo mudará, porém, essa dor pode estar se originando de um fator mental, o que chamamos de doença da alma, porém esses são extremos de uma infinidade de pessoas.felicidade

Nós como fisioterapeutas, até que ponto somos capazes de identificar essa dor, esse sofrimento e aliviá-lo? Reconheçamos que o resultado do tratamento está diretamente ligado à forma de interação do paciente com o fisioterapeuta e temos que ser capazes de compreender os caminhos, as formas e maneiras de sermos, dando o exemplo de índole, conduta e reputação perante aquele outro ser humano, chamado de paciente.

Contudo devemos entender que para curarmos, ou aliviarmos, temos que sermos exemplo e como isso pode ocorrer? Sim, amigos e colegas, na religiosidade e valorização das relações pessoais, na busca pela valorização do ser humano e de suas expressões. Respeitando a expressão do outro, busquemos dar o exemplo a criticar e a desvalorizar e acima de tudo fazer apenas o que agra a Deus. Devemos nos apegar a Deus e a seu serviço, que pode ser realizado em nossa profissão, em nossas inter-relações.

 Religião é importante, mas não se discute, pois Deus é único, independente de nossas crenças. Deus encontra maneiras de nos encontrar e está sempre querendo se relacionar. O propósito divino é único e, acredito eu, o amor entre as pessoas e a evolução do Ser humano em todos os aspectos em nossas vidas e em um bom caminho, basta que busquemos compreender o Seu propósito.

felicTodas as religiões têm um propósito de re-ligação com Deus e é interessante encontrarmos a maneira de fazer isto. Deus está ao nosso redor e dentro de nós, na natureza e dentro de cada pessoa. Valorizemos esse Deus e confiemos que Ele pode nos auxiliar, junto de muito estudo e vivência, a levar nossos pacientes ao que esperamos ser o mais perto da felicidade.

Por: Dr. Rafael Prado