Fisioterapia & Saúde

Jovens não Estão Livres de Sofrer com Artrite.

214 1

Artrites e artroses são problemas de saúde que as pessoas geralmente atribuem ao envelhecimento. É comum ouvirmos falar que com a idade vem o reumatismo. Essa, na verdade, é uma das principais queixas dos mais idosos. O termo artrite serve tanto para as queixas de dores nas articulações quanto para alguma deformidade característica dessa doença. Embora predominem nas pessoas acima dos 60 ou 70 anos, crianças, jovens e adultos não estão livres de contraí-las.

“A artrite reumatoide, por exemplo, acomete pessoas de qualquer idade. Atletas podem ter artrose, a febre reumática se manifesta especialmente em crianças”, explica o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti.

Crianças podem apresentar algum tipo de artrite, principalmente, a partir dos três anos de idade. A artrite reumatóide é uma doença com evolução muito parecida nas crianças e nos adultos. Ela provoca inflamação nas articulações das mãos, joelhos e pés e pode progredir para deformidades, em qualquer faixa etária. A febre reumática, por exemplo, chamada no passado de artrite ou reumatismo infeccioso, também é uma doença bastante referida na infância. Depois de mais ou menos dez dias após a criança ter tido uma infecção de garganta, suas juntas se inflamam e tornam-se extremamente dolorosas. “A febre, que era alta no início, fica mais leve ou desaparece e, em alguns casos, pode ocorrer um comprometimento cardíaco característico da febre reumática”, alerta o especialista.

Febre reumática – Ao contrário da artrite reumatóide, que acomete mais as pequenas articulações das mãos e dos pés, a febre reumática acomete principalmente as grandes articulações: joelho, punho, cotovelo, ombro, quadril, tornozelo. A dor não é localizada, migrando de uma articulação para outra, trazendo o risco de a doença atingir o coração. Algumas crianças não têm o acometimento das articulações – o que torna o diagnóstico mais difícil – mas têm as complicações cardíacas, que podem passar despercebidas. Acredita-se que a criança teve uma dor de garganta que desapareceu em alguns dias, sem ter deixado sequelas. Anos depois pode ser detectado um sopro indicativo do comprometimento de uma válvula cardíaca provocado pela febre reumática e que não foi diagnosticado na época, por falta do acometimento das articulações. Como infecções de garganta são comuns em crianças e podem ser provocadas por diversos distúrbios, como resfriado, gripe, viroses nas vias aéreas e por bactérias, os pais precisam estar sempre atentos. Lanzotti alerta que, quando existem placas de pus na garganta, sinal de infecção bacteriana, é necessário adotar medidas mais radicais. “Se do ponto de vista clínico há suspeita de uma doença bacteriana deve-se tratar a infecção de garganta com antibiótico”, avalia. Em relação à febre reumática, somente 3% das crianças desenvolvem a doença. O pediatra é quem decide se a infecção de garganta demanda tratamento imediato ou deve ser observada por mais tempo. Caso a criança já tenha desenvolvido um episódio de febre reumática, o antibiótico deve ser prescrito precocemente, “pois uma infecção causada por estreptococos pode desencadear novos surtos da doença e aumentar a possibilidade de ocorrer lesão cardíaca”, observa o médico.
Artrite em jovens – Existe uma pequena diferenciação da doença nos jovens do sexo masculino e feminino. Entre 15 e 20 anos, é mais frequente o aparecimento de doenças auto-imunes nas mulheres, porque na puberdade, elas têm uma alteração importante de hormônios que somada à manifestação de certos genes favorece o desenvolvimento de processos reumáticos. Nos jovens do sexo masculino, há um predomínio das doenças de coluna relacionadas ao grupo das espondilites, uma das inúmeras formas de artrite. “Essa doença acomete os ligamentos que unem as vértebras, provoca inflamação e fibrose, endurecendo os ligamentos de tal maneira que a postura do paciente se modifica a ponto de criar deformidades”, explica Lanzotti. De acordo com o médico, o tratamento precoce com fisioterapia para forçar a coluna a manter-se em posição ereta e rígida faz com que seja possível controlar o aparecimento dessas deformidades, mesmo que a doença continue progredindo.
Reumatismo nos atletas – Jogadores de futebol são muito vulneráveis as artrites no joelho. Estes atletas sofrem traumas frequentes nos joelhos e reclamam logo que percebem qualquer problema ou sentem dor. Várias doenças reumáticas podem acometer os joelhos. Uma delas, a artrite traumática ocorre especialmente em jovens esportistas. Tênis inadequados ao tipo de exercício e solo muito duro podem provocar impactos cuja constância leva a alteração da cartilagem, que começa a fragmentar-se e, em consequência, força um derrame na articulação. “Essas lesões mecânicas podem ser responsáveis pelo aparecimento precoce de osteoartrite ou artrite secundária”, explica o reumatologista Sérgio Lanzotti. É importante destacar que a lesão mecânica precoce provoca alterações na cartilagem faz com que a pessoa jovem manifeste um quadro de artrose. Com o joelho nessas condições, a pessoa praticamente não consegue andar. No passado, o atleta estava condenado, muitas vezes, a permanecer numa cadeira de rodas. Hoje, desde que suas condições gerais estejam boas, é possível fazer uma cirurgia e colocar uma prótese total de joelhos, o que permitirá com que ande normalmente, sem sentir dor. “Esse recurso cirúrgico representou um avanço para o tratamento de pacientes em estágio avançado dessas doenças”, completa o especialista.

FONTE: http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=204937

1 comentário

  • jéssica alessandra da luz disse:

    Oi,deis de segunda estou com meus dedos das mão e dos pés inchados,minhas pernas tbm está dolorida,mais tenho 21 anos pode ser artrite me ajudem..

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *