Fisioterapia & Saúde

Pilates para dor lombar?

2467 618

Estudo internacional avalia o uso do método em casos de dor lombar. Confira!

O objetivo do estudo de Posadzki et al (2010) foi investigar o uso do Pilates, tão difundido atualmente, em tratamentos da dor. O estudo foi divulgado no último dia 15 de outubro, no periódico “Complementary Therapies in Clinical Practice“. Mais especificamente, o trabalho objetivou revisar de forma sistemática todos os ensaios clínicos controlados sobre o tratamento da dor lombrar pelo Método de Pilates. Os pesquisadores realizaram uma revisão sistemática da literatura, em nove bancos de dados internacionais.

A seleção dos ensaios clínicos foi realizada por meio do título e resumo dos artigos. A partir de então, os pesquisadores realizam uma segunda seleção, que foi feita por meio de critérios de inclusão para análise já pré-definidos: ensaios clínicos randomizados e controlados sobre o Pilates em pacientes de qualquer idade ou sexo, que apresentassem dor lombar. Além disso, utilizando a Escala de Oxford, os pesquisadores avaliaram a dimensão da Qualidade de Vida e o Pilates, presente em alguns estudos.

Na análise das publicações encontradas, os autores pontuam que os estudos são heterogêneos em termos de população de pacientes, grupos de controle, critérios de inclusão e exclusão e medidas de desfecho , o que torna a meta-análise inviável. Embora haja algumas evidências que apóiam a eficácia do Pilates no tratamento da dor lombar, nenhuma conclusão definitiva pode ser estabelecida, exceto que são necessárias mais pesquisas, que contem com amostras mais expressivas e com definições mais claras sobre o tratamento padrão e medidas de resultados comparáveis.

Referência do Estudo:

POSADZKI, P.; LIZIS, P.; HAGNER-DERENGOWSKA, M. Pilates for low back pain: A systematic review. Complementary Therapies in Clinical Practice. Available online 15 October 2010

Autor: SIS.Saúde
Fonte: Complementary Therapies in Clinical Practice

618 Comentários

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *