Fisioterapia & Saúde

Audiência Pública que vai tratar situação dos fisioterapeutas

Quinta-feira, dia 2 de dezembro, às 15 horas, no Plenário da Câmara Municipal, foi realizado Audiência Pública proposta pelo vereador Noraldino Junior, que  discutiu a situação dos fisioterapeutas em Juiz de Fora e a inserção de mais profissionais na saúde primária.

Noraldino propôs a audiência após perceber a demanda que recebe no gabinete em busca de atendimento na área de fisioterapia. Além disso, acompanhou a manifestação ocorrida no último dia 13 de outubro, na qual os profissionais e estudantes se reuniram no centro da cidade para alertar sobre a falta de profissionais na saúde pública do município.

“O objetivo da audiência é discutir por que nossa cidade está carente desse tipo de profissional, tendo em vista que existem muitos capacitados e com formação suficiente para oferecer atendimento adequado à população. Acredito que o fisioterapeuta tem um papel importante na promoção e prevenção da saúde. Por isso, estou tentando colocar o tema em debate, defendendo uma ideia que tem base”, afirma o vereador.

O presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Fisioterapia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Lucas Cavalcanti Leite, destacou a importância de discutir o assunto, principalmente no que diz respeito a atenção primária. “Temos que dar mais atenção ao setor primário, que atende a população no seu próprio bairro e não sobrecarrega os hospitais, por exemplo. Muitos casos podem ser resolvidos assim, mas tem que haver profissionais para atender os pacientes e dar o acompanhamento necessário”, informou ele. Lucas também chamou atenção para o quadro de fisioterapeutas na Prefeitura, que é de 14 profissionais. Destes, apenas sete são concursados e os demais têm contrato temporário. “Temos que lutar pelo bom funcionamento do sistema. Também não adianta ter profissionais se o sistema funciona mal”, alertou.

O Delegado do Conselho Regional de Fisioterapia, Marcelo Lopes Freitas destaca que das cerca de 60 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade, apenas duas tem atendimento com fisioterapeuta, o que mostra a precariedade da atenção primária no município. “O paciente tem que ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar, e hoje o fisioterapeuta está excluído dessa equipe. O usuário não pode ficar sem atendimento”, ressaltou ele.

Noraldino Junior afirma que vai apoiar a categoria, e o primeiro passo é a audiência, que vai discutir o assunto com estudantes e profissionais da área. “Vamos realizar um trabalho continuado. Queremos realizar ações que realmente modifiquem o quadro do municípi. Quero contribuir para mudar a realidade e para isso temos que ter um plano de ação, criar metas”, enfatizou o vereador.

Alguns convidados:

Secretário de Saúde, Cláudio Reiff;
Secretário de Administração e Recursos Humanos, Vitor Valverde;
Presidente do Crefito 4 (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional), Dr Hildelberto Lopes dos Santos;
Prof. Dr. Marcos Souza Freitas, pesquisador em Políticas, Gestão e Práticas em Saúde;
Presidente do DA-UFJF – Lucas Cavalcante;
Representante da 3º idade Edgar Schmidt;
Gerente Regional de Saúde (GRS);
Diretores dos hospitais HPS, Monte Sinai e Albert Sabin;
Subsecretário de Atenção Primária,
Ouvidoria de Saúde;
Conselheiro de Saúde;
Secretário de Esporte e Lazer;
Secretário de Estado da Saúde e Representante do Ministério da Saúde;
Coordenadores dos cursos de Fisioterapia da UFJF, Universo, Estácio, Unipac e Suprema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *