Fisioterapia & Saúde

O avanço da fisioterapia

Mais uma vez o jornal O POVO traz em seu caderno de saúde uma reportagem sobre fisioterapia, queremos lembrar que esse veículo de comunicação foi o primeiro a oferecer espaço permanente  a fisioterapia através desse blog.  Parabenizamos ao grupo o povo e ao mesmo tempo agradecemos essa oportunidade. Vale a pena ver o caderno de ciência e saúde hoje 03 de julho. Vejam um pouco da reportagem abaixo:

Uma das coisas que mais incomoda os fisioterapeutas é o estigma de que são massagistas, segundo o professor do curso de Fisioterapia da Unifor, Alessandro Façanha. “Nos primórdios da fisioterapia, ela tinha uma formação só técnica. E o fisioterapeuta não tinha o conhecimento científico. Quando se vincula o fisioterapeuta a massagem, lembra-se desse aspecto mais antigo”, explica. O professor afirma que a massagem, que os profissionais preferem chamar de terapias manuais, é apenas um dos recursos utilizados no tratamento de pacientes.

 Outro esteriótipo combatido pela categoria é de que o fisioterapeuta é importante só na recuperação de pacientes traumatizados, principalmente as vítimas de acidentes. Segundo Alessandro Façanha, esses profissionais atuam em todos os níveis de atenção à saúde e, principalmente, na atenção primária. “A fisioterapia avançou muito, mas ainda existe o estigma, de um profissional complementar, que carrega gelo, faz massagem, coloca corrente. Esse é um contexto falido, mas que a gente percebe que ainda existe”.