Fisioterapia & Saúde

Dor nas costas? Pensamento positivo pode ser tão eficaz quanto analgésicos, diz pesquisa

477 4

Estudo clínico realizado na Grã-Bretanha mostra que o pensamento positivo pode ser tão útil quanto analgésicos

Qualquer um que foi derrubado com dor nas costas pode atestar que a agonia é exaustiva. Um estudo clínico da Universidade de Warwick, Grã-Bretanha, revelou que o pensamento positivo pode ser tão útil quanto analgésicos, fisioterapia e cirurgia.

A pesquisa mostra que os pacientes que receberam uma forma de aconselhamento conhecido como terapia cognitiva comportamental (TCC) mostrou dupla melhoria em relação aqueles que receberam o tratamento padrão tais como fisioterapia, acupuntura ou osteopatia.

TCC já está sendo usada para tratar uma série de problemas de fobias e ataques de pânico ao estresse no trabalho. Os investigadores acreditam que ele funciona porque se concentra em incentivar as pessoas a superar os pensamentos negativos, que altera o modo como eles se sentem. Parece uma atitude mental positiva – essas três pequenas palavras tão freqüentemente usadas por muitos atletas em face de seus maiores desafios – pode ajudar a manter a dor nas costas no contexto e superá-lo.

Surrey Spring Rehabilitation é um dos primeiros centros independentes no Reino Unido a oferecer um programa residencial de tratamento para dor nas costas, que combina uma série de exercícios com o TCC. O objetivo é fazer com que aqueles que têm dor nas costas consigam levar uma vida normal mesmo em período de tratamento.

Segundo especialistas, a TCC ajuda o indivíduo a entender o impacto que os pensamentos e as emoções têm sobre a fisiologia e comportamento. Eles também defendem que um programa intensivo de fisioterapia baseada em exercícios sustentada com TCC consegue dar aos pacientes as habilidades emocionais para administrar a doença e lidar com os contratempos.

A pesquisa também revelou que oito em cada dez pessoas vai sofrer de dor nas costas em algum momento de suas vidas e sete por cento vai acabar com problemas de longo prazo. O fato de que até a metade delas são tratadas para depressão e ansiedade.

Fonte: Universia Brasil

4 Comentários

  • Wiron Correia Lima disse:

    Já temos experiências em trabalhar com o TCC, uma vez que temos psicólogo especialista em nossa equipe.
    Trabalhos mais antigos também mostram a ineficácia de tratamentos como a osteopatia e quiropraxia, quando comparados com terapias multidisciplinares e até mesmo isoladas.
    Temos ainda que definir(não tenho a íntegra do trabalho) de que tipo de dor estamos falando, pois no momento em que são diagnosticados quadros neuropáticos, principalmente em relação à coluna vertebral, todo o processo de análise inflamatória muda seu conceito e a irritação química de estruturas como nervos, celúlas gliais passa a ser mais importante que as compressões regionais.
    Claro que em nossa prática clínica também temos presenciado a ineficácia dos antiinflamatórios derivados de cOX1 e COX2, sendo os medicamentos como antidepressivos, analgésicos centrais, anticonvulsivantes, neuromoduladores e mais recentemente os moduladores das células da glia são mais expressivos no tto desses quadros.
    As dores que têm ligação com a parte miofascial podem ser efetivamente controladas por condutas fisioterapêuticas largamente conhecidas, como a indução miofascial, eletroanalgesia(a literatura fala inclusive de auxilio das dores residuais neuropáticas , após a regressão de fase inflamatória com uso de TENS e Interferencial), termoterapia (meios físicos).
    Mais recentemente o uso de patchs farmacológicos como o Lidoderme* e Qutenza* podem ajudar na reprogramação sensorial periférica e claro a terapia por injeções cutâneas de lidocaína 1% sem vasoconstrictor(terapia neural) .
    Na realidade temos uma massa de protocolos, mas o interesse maior é o gerenciamento de processos cineticosfuncionais , onde podemos reeequilibrar potencialmente os músculos , condicionar fisicamente o paciente. Esse tipo de abordagem pela Fisioterapia é realmente efetiva.
    O controle das dores neuropáticas por técnicas minimamente invasivas é um grande ganho, não apenas para o paciente, mas acelera a intervenção fisioterapêutica.
    Dr. Wiron Correia Lima, PT;EDFCR, CEO

  • Dr Henrique da Mota disse:

    A notícia está temperada com um pouco de leviandade sensacionalista, mas as terapias cognitivo-comportamentais tem sido usadas por nossa equipe há mais de 3 anos, com grande valia. Claro que há casos e casos, pois situações onde existem indicações precisas de cirurgias, não cabem tratamento conservador, fisioterápico ou psicológico e mutatis mutantis.

    Exercicios + TCC é a base de nosso processo de recuperação funcional.

  • Trabalho com TCC e vou fazer algumas ressalvas sobre o texto. Evitamos a utilização do termo “Pensamento Positivo”, uma vez que o mesmo pode ser confundido com literatura de auto-ajuda ou coisas do gênero.
    Na TCC o paciente aprende que seus sentimentos dependem da forma como ele organiza e percebe o mundo a sua volta, e que a dor não é proveniente de uma relação estímulo-resposta. Atletas de alto nível estão sempre superando a dor em prol de um objetivo, os fisioculturistas são capazes de transformar a dor algo prazeroso, crentes pagam penitências absurdas e conhecemos N exemplos de transformação e superação da dor. Isso evidencia que a dor não é apenas um estímulo físico e que não pode ser tratada isoladamente.
    A TCC ajuda a identificar “pensamentos disfuncionais” e padrões de crenças que mantém a pessoa aprisionada em um estado de sofrimento. Geralmente, esses pacientes obtém algum tipo de “ganho secundário” com a dor, mas são incapazes de perceber essa correlação. Com a prática de exercícios psicológicos e a identificação de comportamentos e crenças disfuncionais, os pacientes são incentivados a sair da condição de objeto, “o doente”, e se tornarem sujeitos, ou seja, pessoas capazes de agir e de lutar contra as adversidades em prol de seus próprios objetivos, se tornando um sujeitos funcionais.
    Leon Vasconcelos

  • Elizandra disse:

    Você é o que você pensa. Isso esta escrito na Biblia, e ja foi constatado há muito tempo pelo ramo da piscicologia e pelo campo da ciência. Somos o resultado dos nossos pensamentos assim como a planta é o resultado da semente plantada na terra. Os pensamentos são as sementes das ações do homem. os pensamentos são nada mais que um ensaiu da açao. Se você acretida nisso, acesse meu blog e viro um seguidor, melhor ainda viro um adepto e aprenda verdades transformadoras. Esse é o meu link http://voceeoquevocepensa.blogspot.com

    Leia mais: http://www.luispellegrini.com.br/2010/12/07/o-poder-do-pensamento/#ixzz1caj6F2zE

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *