Fisioterapia & Saúde

Postura dos pés afeta dentição

     

Os seres humanos são os únicos mamíferos que nascem sem os dentes e sem a capacidade de andar. Tigres e leões, por exemplo, veem ao mundo prontos para mastigar e com a capacidade de locomoção. Gatos e cachorros não nascem com dentes, mas nos primeiros dias eles erupcionam. A dentição ocorre na fase em que as crias começam a se movimentar.

O ser humano no entanto inicia a erupção dos dentes inferiores por volta dos seis meses de vida e inicia a locomoção com a erupção dos dentes superiores por volta de um ano de idade.

Outra característica peculiar dos seres humanos é que a posição dos pés e o desenvolvimento da postura interferem na oclusão dos dentes e vice-versa. A postura da mandíbula é regulada pela posição do crânio nos primeiros meses de vida e pelo processo de o bebê iniciar a exploração do ambiente em que ele vive.

Atitudes como rolar, engatinhar, promovem mudanças nas curvaturas vertebrais necessárias para preparar o bebê para ficar em pé e iniciar o processo da marcha.

Graças à tecnologia, exames como a baropodometria computadorizada, captam informações por meio da pressão dos pés e as diferentes posições da mandíbula.

A ausência do arco plantar – no casos dos pés planos – deslocam o centro de gravidade do corpo para frente, como consequência os músculos inferiores da mandíbula a tracionam para trás.

O apertamento dentário também produz importante deslocamento do centro de gravidade do corpo para a frente e a falta de alguns dentes pode aumentar a pressão sobre o pé do lado ausente.

Todos esses aspectos e consequências são identificados pelos exames clínicos da Posturologia que permitem visualizar o ser humano de forma global.

Desde 1980, quando o Grupo Salgado (Clínica de Fisioterapia Salgado) instalou os primeiros equipamentos de análise de marcha e baropodometria em Maringá, tornou-se possível ver como o corpo humano é totalmente inter correlacionado, como vários pontos provêm do mesmo lugar – como a boca e os pés que migram da mesma origem na embriologia – e são pontos extremamente inervados e ótimos pontos para serem estimulados.

A partir dessas descobertas e de pesquisas realizadas pela equipe do Grupo Salgado na França e na Itália, os profissionais da Clínica aprenderam técnicas que trabalham a correção corporal como um todo, de modo sutil, como as palmilhas proprioceptivas e a estimulação orofacial.

Trabalhando os dois pontos, consegue- se ótimos resultados. Foi registrada até melhora em pacientes com dislexia, alteração de equilíbrio, controle motor e dores generalizadas.

O objetivo dessas técnicas é, a partir de estimulações manuais sutis, ativar centros nervosos, onde o corpo recebe esses estímulos e se restrutura de uma maneira neuromuscular.