Fisioterapia & Saúde

Difícil Ser Fisioterapeuta? Não Mesmo, Eu Sou Só Satisfação.

924 14

 Iniciei tarde a realizar meus  sonhos, apenas aos dezoitos anos de idade, enfrentei verdadeiramente minha primeira batalha, falar para meus pais, o que gostaria de fazer da vida. Primeiro, sair do meu Crato, enfrentar a vida e buscar um lugar ao sol, como tantos outros brasileiros, mas as condições financeiras não permitiam correr em busca dessa realização, De que forma? Sem grana e nenhuma oportunidade, mesmo assim, nutri dentro de mim ,esse sonho, essa busca de uma nova vida.

Um dia meu  padrinho Wilami Batista chamou a mim e a sua filha, Júlia Angélica, para estudarmos fora de nossa cidade, na capital e essa por nome tem Fortaleza. Lembro hoje meu entusiasmo e minha incredibilidade naquele fato,  foi em Campina Grande na Paraíba,  os primeiros passos  dados, não lembro o nome do amigo da época e nem  como posso encontrá-lo, para agradecer por ter me apresentado o que seria mais tarde, meu dom e destino, ser Fisioterapeuta.

Voltei a Fortaleza e foi em  uma universidade particular projetada por um idealista chamado Edson Queiroz, aonde eu  investir o dinheiro que não tinha, as possibilidades limitadas e os sonhos, meus sonhos, no meu âmago, tinha de fazer dos sonhos daquele tratorista e daquela costureira, meus pais, suas realizações. Podemos   enfatizar o peso da cobrança de quem supunha ter de pagar, até compreender de fato, não era nada pagável, era amor incondicional, não tinha preço, não tinha pressa e só em todos os dias vividos,  tem amor.

No início dessa nova vida, eu tinha tudo para errar, parecia ter acertado, fazer Fisioterapia. O primeiro comentário ouvido, “você, gastando o dinheiro sacrificado dos seus pais, em uma profissão que ninguém sabe, nem o que é”. Tantos e tantas as críticas, comentários absurdos, até esse momento.

Chegado meu primeiro contato com o mercado de trabalho, fui convidado a fazer estágio, os meus olhos brilhavam, feliz da vida, liguei para meus  pais no interior, consegui meu primeiro estágio, ainda no segundo semestre, vou conquistar meus sonhos. Não imaginava, ali construía meu pesadelo,  atendiam muitas pessoas ao mesmo tempo, carregavam  gelo de um lado para outro, campainhas tocando, o fisioterapeuta por trás de uma mesinhae  eu considerava ordinária  diante da mesa do médico dono da clínica. Eles nos exigiam muito, eram gelo, infravermelhos e aparelhos  desproporcionalmente em quantidades e eficiências.  Lembro, ligar para minha mãe no meio da tarde, chorava no orelhão, sei que muitos desconhecem esse objeto, era um meio publico de falar,  instalados em vias publicas, um telefone publico, isso ai, não havia celular. Eu dizia a ela: não quero isso pra mim, é muito ruim,  me sinto mal de vocês pagarem por tão alto custo e eu ser um carregador de gelo, ligar e desligar aparelhos.

Eu tive o privilégio de ter grandes professores, mestres inesquecíveis, um dia serei capaz de citar um a um, mas nesse momento vou citar os que fizeram acreditar no que faço:

Denise Moura: muitos plantões no Alberto Sabin, hospital infantil de Fortaleza, minha primeira oportunidade de conhecer colegas brilhantes e aprender o que era a saúde publica desse país, fragilizada e rica de capacidades e riquezas humanas.

Regina Celi: Mais que uma coordenadora, alguém capaz de reconhecer em um aluno suas capacidades, prova maior de humildade.

Isidrio Marques:  Esse o grande desafio, a primeira nota absolutamente vazia, colocando em risco a continuidade de uma bolsa e de um  sonho. Esse mestre chegou próximo a mim e disse: “você consegue”,  sua motivação me fez superar e alcancei uma nota privilegiada. Nessa só superei por conta do seu incentivo.

Veio-me depois a Dra. Vilalba Dourado,  se eu um tivesse que escreve minha história, teria capítulos e capítulos, ela faz parte de minha vida, me fez apaixonar pelo que sou e pelo que faço.

Tereza Morano:  Meu presente maior, depois de quatro anos e meio em uma faculdade, meu último puxam  de orelha, incrivelmente  humana, sensívelmente capaz de fazer ser reconhecida e melhor ainda , os seus alunos reconhecidos .

Mas chegou a hora de acordar, a realidade batia a porta, dificuldades a mil,  tinha de contar, além de Vilalba, com  ABCR,  sofro pelo seu fim, fiz parte de uma clínica iniciava na cidade de Fortaleza, um projeto ambicioso e nos dias de hoje vive fortemente em sua ideologia, chama: MEDFISO, de minhas queridas,  Carla Meireles, Deyse, Magda e Milzinha, não consigo chamar de outro jeito.

Conquistei um sonho chamado Fisio Vida junto a um grande amigo e parceiro da vida, Meudo Filho, hoje  administrada por quem exerce um papel maior,  minha única irmã de sangue e de alma, minha confidente e conselheira, Glaucia Brandão. Mesmo diante de tantos  desafios, foram  oitenta e oito participações  em eventos nacionais e internacionais como convidado, em dezesseis estados brasileiros, sou fundador com muita honra do curso de fisioterapia da FANOR e lá vive, talvez o maior projeto de minha vida profissional, autorizada e reconhecida pelo Ministério da Educação.

Iniciei uma carreira acadêmica, sendo pioneiro e instalando em Fortaleza a Fisioterapia Buco Máxilo facial, na FIC, Pela confiança e credibilidade de Grace Adeodato a quem sou eternamente grato.

Se me perguntarem hoje, é difícil ser um Fisioterapeuta  no Brasil? Direi sem medo, não mesmo. É um orgulho,  uma satisfação e aproveito a desejar a todos que possam construir suas histórias.  Eu sou muito feliz com minha própria história, ultrapasso esse  sentimento, sou honrado de ser Fisioterapeuta, sou orgulhoso de ser Cearense, sou como a maioria do meu país, sou Brasileiro, sou um apenas um pouquinho do meu rico Brasil.

14 Comentários

  • LUCIJANE SAMPAIO disse:

    Olá boa noite!

    Sou estudante de fisioterapia , e gostaria de parabeniza-lo pelo blog, pelo excelente trabalho.
    Assim como você tô tendo esta oportunidade de conhecer e aprender com estes grandes mestres da Fisioterapia: Denise Moura e a Milzinha no hospital Albert Sabin na liga. Quando encontrei este blog a primeira coisa que fiz foi compartilhar com meus amigos do face e imprimir uma cópia para mostrar para a professora Denise e a professora Milza no final de semana.

    Um forte abraço ! Que Jesus continue abençoando o seu trabalho !

  • Fernando alencar disse:

    Bom pessoal essa historia ta ai pra qual quer um q vem ser querer um fisioterapeuta. Eu quero ser um fisioterapeuta, estou no terceiro ano do ensino medio e e quero fazer faculdade de fisioterapeuta . Mas as pessoas estao dizendo q esta profissao esta sendo menas conhecida :(. O q eu faco ? Devo pensar mais um pouco antes de querer fazer essa profissao? Me ajudem , pq o tempo nao para!. Gostei muitoo dessa historia e espero ter motivaçoes igual a vcs . Valeu e se deus quiser e com o meu esforco , vou ser um fisioterapeuta.. So q vou pensar antes 🙂 valeu gente.

  • samara Aparecidada Da Silva Souza disse:

    Olá..Linda história me indentifiquei muito fiquei muito emocionada…Fiz o primeiro semestre mais tive que trancar pois a parte financeira não permitiu..Mas uma vez vou tentar não vou me deixar abalar só porque não deu certo uma vez e desistir muito pelo contrario vou atrás do meu objetivo de ser Fisioterapeuta obstácuslos sei vão vir ,mas estarei forte para ultrapassa-los….Muita Fé em DEus Sempre….

  • Karinna Dâmarys de Araujo Sousa disse:

    olá eu tenho apenas 15 anos de idade e tenho sonho de me formar em fisioterapia estou no 2 ano do ensino médio pretendo prestar vestibular e irei continuar tentando até conseguir me formar em fisioterapia. Deus irá me ajudar a consegui esse sonho.

  • Olá
    tenho 17 anos e terminei o ensino médio ano passado , e me matriculei na Faculdade , e tenho esse sonho de ser Fisioterapeuta , vou começar daqui uns dias , e espero que de tudo certo porque é um sonho , e eu vou realiza-lo , é um dom , uma sabedoria etc . TENHO MUITA FÉ EM DEUS E QUE ELE ME AJUDE SEMPRE , E DEUS IRÁ ME AJUDAR NESSE SONHO !

  • francine disse:

    ola estou cm muitas duvidas uma hora quero fazer enfermagem outra quero fazer fisioterapia e depois quero medicina agora naos sei qual faço se vcs puderem me ajudar agradeço muito me interesso muito por fisioterapia obrigado….

  • Olá Jorge Brandão. Tudo bem ?
    Adorei sua Postagem, na hora que comecei a ler meu coração ate acelerou fiquei muito feliz por suas conquistas, e eu sei bem como é difícil a caminhada até lá.
    Eu tenho 17 anos formei ano passado o Ensino médio, hoje já estou matriculada na faculdade e estou cursando Fisioterapia 1° Período, é uma profissão que eu amo. Então a luta esta sendo grande porque não tenho nenhuma bolsa e quem paga são meus pais, eles estão se sacrificando com quase mil reais de mensalidade todo més, tem meses que passamos ater alguns apertos, mas isso se DEUS quiser vai ser recompensado no futuro para eles, é um dinheiro suado mas que no futuro terá um grande valor para nós, porque eu vou ajudar com tudo que eles precisarem porque eu sei a luta que ta sendo para eles e para mim. os meus professores já me falaram do estagio que é obrigatório no final do curso esse que você citou ai, e infelizmente hoje em dia a muitos profissionais que só querem ganhar com isso, fazendo nós de escravos e capachos deles, por isso que ela disse que é para nós termos cuidado com isso.
    Não vejo a hora de me forma logo e seguir minha profissão de Fisioterapeuta!
    Muito obrigado sua Historia me ajudou muito, porque eu estava com algumas duvidas mas já foram tiradas. Abraços 🙂

  • Bianca Diniz disse:

    Oi eu entrei nesse blog com a intenção de entender mais a vida de um fisioterapeuta eu adorei a história de Jorge Brandão, sei que a vida é difícil mas vou tentar seguir o que meu coração mandar.
    Tenho 15 anos estou no segundo ano do ensino médio e quero fazer essa faculdade .Deus vai me ajudar ,se tiver força .
    Deus abençoe todos.

  • ADRIANA disse:

    Estou iniciando agora o curso de Fisioterapia. Um pouco tarde… com 35 anos; mas irei me dedicar ao máximo. Espero ter bons resultados!

  • Higor disse:

    Eu estou cursando o 2° periodo de fisioterapia eu amo a profissão estou adorando fazer o curso aprender mais a cada dia sobre essa profissão. Mas não tem com não pensar na parte financeira, queria saber quanto jorge brandão consegue conquistar financeiramente por mês?

  • Diane Cristina Aleixo disse:

    Lindo!
    Sou estudante de fisioterapia e cada dia que passa eu tenho mais amor pela profissão.

  • Thiago disse:

    Viva a Fisioterapia =D

  • Herbert Botelho disse:

    História muito bacana, sou estudante de fisioterapia, e também já me falaram muitas coisas desagradáveis a respeito da profissão, hoje estou no 4 período e minha cabeça esta totalmente diferente de quando eu era 1 período, com o tempo você vai amadurecendo e reconhecendo que fisioterapia é um dom, fisioterapia não é só dinheiro, é amor, é ter paciência, é persistir, é se importar com o próximo, tenho certeza que estou no caminho certo, e essas pessoas que tentam me desanimar, no futuro contará com experiência de vida, afinal sou eu que decido minhas escolhas e não as outras pessoas, forte abraço!

  • kelma Cristina Bispo disse:

    Oi Boa tarde!

    Eu quero muito fazer esse curso de fisioerapia ,mais muita pessoas falam que ñ da dinheiro que vou gasta atoa,mais o que fale e fazer o que realmente eu gosto.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *