Fisioterapia & Saúde

Postura incorreta ao usar aparelhos digitais causa lesões

Fonte: Diario do Nordeste.

Uso incorreto de tablets e smartphones, por exemplo, pode gerar dores e desconfortos passíveis de cirurgias

O mundo é dos smartphones e tablets, e esse domínio característico de avanço também tem um “preço que pode custar caro” à saude de seus usuários. O uso excessivo destes instrumentos tecnológicos e de forma inadequada pode acarretar em lesões graves à população.

Por se tratarem de aparelhos portáteis que se adaptam a qualquer circunstância e situação, o uso frequente dos mesmos, sem levar em conta posições de manejo desejáveis, pode causar dores e outros desconfortos.

Para evitar que isso ocorra e também como forma de prevenção aos problemas mais sérios de saúde, fisioterapeutas alertam e orientam aos que utilizam tais aparelhos. Para eles, o simples ato de segurar um tablet já traz cansaço aos braços, mãos e ombros.

Especialista

Para a coordenadora do Curso de Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional e Terapias Manuais da Universidade de Fortaleza (Unifor), Ana Cristhina de Oliveira Brasil existem estruturas/regiões do corpo que podem ser mais afetadas com o uso destes equipamentos.

Entre as quais, a região cervical (cabeça e pescoço), devido ao posicionamento para dirigir o olhar à tela; os dedos da mão, pelo acionamento dos comandos na tela; o punho e a mão que dão suporte ao equipamento, ou seja, que seguram o tablet ou o smartphone, por exemplo.

As consequências pelo uso constante e frequente destes equipamentos podem se traduzir em lesões osteomioarticulares por esforço repetido, ou seja, a famosa e danosa LER e, ainda, a hérnia de disco cervical, ambas, incapacitantes e, por vezes, provocadoras de invalidez permanente, que, se não cuidadas em tempo, poderão culminar nestas lesões irreversíveis que necessitam de exames onerosos e cirurgias neurológica de média a alta complexidade.

Na comunidade jovem, mais afeita a utilizar tablets e smartphones, o risco de danos à saúde se faz presente, e de maneira até mais perigosa. De acordo com Ana Cristhina de Oliveira Brasil, existe uma programação neurológica que promoverá nos músculos, faciais e articulações, alterações estruturais.

Funções

Para ela, o espessamento de tendões, retrações musculares e faciais vão acarretar na sequência, alterações nas funções mioarticulares e posturais, modificando, precocemente, a funcionalidade humana, promovendo a dificuldade para o desempenho das atividades da vida diária. E isso concorrerá de modo a agravar a situação com o passar dos anos, ao se somar com as modificações que vêm pelo desgaste natural dos materiais biológicos.

“Aparentemente por se tratar de uma estrutura jovem, o risco entre os jovens, seria menor, se, estes adolescentes fossem praticantes de atividade física regular. Contudo, o perfil funcional que se apresenta para a juventude, que está influenciada diretamente pelo uso de tecnologias, é de pleno sedentarismo, acompanhada ou não de obesidade, o que somente piora a situação de saúde e apoia a tese aqui apresentada, “justificou.

Ana Cristhina dá dicas de como manusear corretamente o tablet: manter sempre os braços alinhados e apoiados na mesa ao digitar, preferencialmente a 90º em relação ao seu corpo; afastar o equipamento ao máximo que conseguir. Deste modo, seu pescoço ficará menos dobrado, e os braços em posição de relativo conforto; faça uso de mesas que estejam na altura correta e deixe os seus braços o mais perpendicular possível com o seu corpo; se, para além de ler você precisar digitar, fique alerta para não flexionar demais cabeça e pescoço.

Ao usar o seu aparelho tente é importante poder elevá-lo a fim de posicioná-lo à altura dos seus olhos, porém, com o cuidado para não promover tensão demais nos músculos de braços.

A especialista alerta que, caso o usuário sinta qualquer tipo de desconforto, sensação de peso, queimação, dormência, dor, fadiga, não ignore. Ela sugere parar a atividades por cerca de dez minutos, alongando a cabeça e pescoço, o punho e dedos. No entanto, Ana Cristhina avisa que é preciso orientações de um fisioterapeuta, levando em consideração a idade e tipo de atividade exercida com o equipamento.

Sedentarismo

Os especialistas que tratam do assunto alertam, ainda, para a prática de exercícios físicos, a boa alimentação e suficientes noites sono. Somente combinando esses comportamentos, as dores e lesões podem ser facilmente evitadas.

Para o fisioterapeuta José Meudo Filho (Fisiovida), a incidência de portadores de lesões causadas pelo uso desses aparelhos é pequena. “É um tipo de lesão que requer tempo de uso inadequado do aparelho para se manifestar. “Preventivamente, pessoas buscam tratamento em nossa clínica, logo que surge algum desconforto”, disse.