Fisioterapia & Saúde

Fortaleza e um Luxo em seu Carnaval

luxoEm um dia de Fortaleza ensolarada, logo cedo pacientes para atender, mesmo sendo segunda feira de carnaval, festa iniciada pela Europa, mas em solo brasileiro, apenas no século XX tornaram-se populares, por curiosidade fui pesquisar qual primeira escola de samba e ela só surgiu em 1928, ” Deixa Falar” , hoje Estácio de Sá. Os grandes movimentos sempre começam assim, vejam o caso do tropicalismo e suas inovações estéticas radicais, trazendo grandes mudanças comportamentais na música, cinema, teatro e artes plásticas, o Ceará tambem comunga com o mundo quando se trata de inovações, no Ceará foi criado a primeira Secretaria da Cultura no Brasil em 1966. Do Ceará tambem a primeira mulher na Academia Brasileira de Letras, Rachel de Queiroz, descendente pelo lado materno de José de Alenca., Terra rica esse meu Ceará, tenho orgulho e honra da minha terra, da minha gente, do meu Cariri nem se fala, tempos de forró, reizado e grandes festas, lembro de muitas ao som de Luis Gonzaga, esse pernanbucano de Exú, mas não faltava nas segundas feiras a feira do Crato, lembro de bater papo sentado no banco da praça Siqueira Campos com Patativa do Assaré, mas por onde andam as fotos?  Guardadas em minha memória, tão ocupada com tais fatos, que não sei nomes de ruas e muito menos ainda dos números.

Recebi do amigo e paciente Cliff Villar, um dos maiores e ricos presentes, de sua concepção e lançado pelas Edições Démocrito Rocha, com organização de Ana Miranda essa encantadora cultural, por tudo que escreve, a “Coletânea de Crônicas da Rachel de Queiroz, um memento  me chamou atenção, a crônica: ” Nobre Cidade do Crato” de 15.10 de 1953, talvez razão de me fazer sensivel as coisas das artes. “Bem empregado, pois quando se escalou a barreira do Araripe, tudo mudou de repente, o chão desolado ficou para trás, a chapada como que fez o velho caminhão criar asas – havia um perfume no ar, uma doçura, uma alegria – “é o cheiro do Crato que está ficando perto”, gritou um dos passageiros do carro, saudoso e radiante.”

Nessa linda cidade de cheiro próprio, aprendemos desde cedo o cheiro da cultura e hoje em novos tempos, assisto uma Fortaleza encantadora nas vozes de uns rapazes, encantados pela alegria de cantar, nem sei se cantam mas encantam em sua maestria, falo de carnaval, dos encantos, dos encontros do Ceará. Estava eu feito menino a pular pelas ruas de músicas muitas delas desconhecidas por mim, mas me lembravam poesias e me faziam sentir e estar de: “calça nova de riscado, paletó de linho branco, que até o mês passado, lá no campo ainda era flor, sob meu chapéu quebrado, o sorriso ingênuo e franco, de um rapaz novo encantado (Fagner)”. Mas eles batizaram um novo movimento musical e  sem dúvida nenhuma vai conquistar o Brasil, surgindo das ruas do Benfica e de outro grande músico e poeta, Ednardo  em suas letras nos diz:

“Eu sou a nata do lixo, eu sou o luxo da aldeia, eu sou do Ceará”

A esses novos e brilhantes músicos, o luxo de ser Luxo da Aldéia, rompendo barreiras e conquistando novas atitudes, no meio da multidão uma mãe e seus três filhos ainda crianças, em suas mãos algo lançava espumas, todos a reclamar, até a banda parou e se manifestou, contra. Mas o publico desse luxo pegou pelas mãos essas crianças e fez uma ciranda, outros entregaram confetes e serpentinas, as crianças ficaram felizes, a festa continuo, todos ainda devem estar na folia, sem medos, tudo tranquilo, a moça que vendia cerveja até me achou no meio da multidão para devolver o troco da cerveja, isso é Fortaleza, isso é o meu Ceará, isso é o Luxo da Aldeia.

http://www.luxodaaldeia.com.br/

 

http://www.youtube.com/watch?v=pLyfZE7vkAo&feature=player_embedded#!