Fora da Ordem

Cearense Karim Aïnouz leva prêmio da Anistia Internacional no Festival de Berlim

(Foto: Joyce S. Vidal)

O Brasil teve uma performance destacada no 68º Festival Internacional de Cinema de Berlim, encerrado na noite do último dia 24. Na mostra Panorama, cujos vencedores são escolhidos pelo público, o documentário “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, que aborda os bastidores do impeachment de Dilma Rousseff, obteve a terceira colocação entre 18 concorrentes.

Aeroporto Central”, do cearense Karim Aïnouz, levou o prêmio Anistia Internacional, enquanto “Tinta Bruta”, de Márcio Reolon e Filipe Matzembacher, recebeu o CICAE Art Cinema Award, prêmio da Confederação Internacional de Cinemas de Arte (antes, já havia ganho o Teddy Awards junto com “Bixa Traversty”, na disputa paralela relacionada à temática LGBT).

O filme “Touch me not”, da romena Adina Pintilie, ganhou o Grande Prêmio do Festival, que teve sua cerimônia final realizada na noite deste sábado (pelo horário de Brasília). Drama sensorial, segundo a diretora, foi resultado de uma pesquisa pessoal e utiliza personagens reais em meio a uma narrativa ficcional.

Karim Aïnouz disse ao site Omelete, após o anúncio, considerar os prêmios importantes para o Brasil, embora, no seu caso, destaque que “a vitória de Aeroporto Central soma dividendos à conta corrente da representação do homem árabe, que tende a ser mostrado nas telas associado ao terror”. A premiação da Mostra Panorama e dos júris independentes acontece neste domingo.

O POVO Online

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *