Futebol do Povo

Contra o Tiradentes, ataque do Ceará tem outra chance de superar falta de gols

1134 13

Nos quatro jogos que fez na temporada 2017 o Ceará marcou apenas quatro gols. Dois contra o Maranguape e outros dois na vitória sobre o Guarany de Sobral. Diante de Fortaleza e América-MG o sistema defensivo passou em branco. Destes quatro gols, dois foram marcados por defensores: Rafael Pereira e Lucas (aliás, não é tema do texto, mas estão jogando muito bem). Assim, em quatro partidas os jogadores de ataque anotaram só duas vezes. Um gol de Lelê e outro de Baggio, ambos contra o Maranguape.

A melhora do desempenho ofensivo é, portanto, ponto fundamental para a equipe neste início de fevereiro, tanto no aspecto tático como no técnico. O esquema montado por Gilmar Dal Pozzo ainda não funcionou, especialmente porque os atacantes (ele tem jogado com três, dois abertos pelos lados e um centralizado) estão isolados do meio-campo que, por sua vez, tem se mostrado lento. Para além disso, há pouca variação de posicionamento e jogadas ensaiadas.

Colocando também em análise a capacidade técnica dos atletas de frente, o desempenho preocupa.  Magno Alves dispensa análise técnica, mas tem sido escalado de forma equivocada, de costas para o gol. Não é a dele. Nunca foi.

Rafael Costa, reserva, vive daquelas fases ruins inexplicáveis para quem já tinha dados positivos. Em 2016 ele fez 16 gols pelo alvinegro, mas todos concentrados no primeiro semestre. Lelê nunca foi artilheiro. Em 41 jogos por Ceará e Santa Cruz, em 2016, ele marcou seis gols. Em 2015 foram também seis gols, em 37 partidas. Em 2014, mais uma vez 41 jogos, pelo Oeste, e três tentos. Douglas Baggio também não tem histórico de bom aproveitamento, pelo menos por enquanto. No Luverdense, em 2016, foram dois gols em 30 partidas. Em 2015 e 2014 ele praticamente não atuou no time principal do Flamengo. Alex Amado, que não vejo como atacante, fez dois gols em 33 partidas em 2016. Em 2015, seis gols em 44 jogos.

Contra o Tiradentes, nesta quarta-feira, jogo que vale a liderança isolada da primeira fase do estadual, o ataque do Ceará volta a ter chance de mostrar valor. Temporada está no começo, evidente, mas fica claro que para os objetivos da temporada, a diretoria do Ceará terá que buscar reforços ofensivos de qualidade.

Recomendado para você