Futebol do Povo

Desafio dos 10 anos: relembre como Ceará e Fortaleza estrearam em 2009

1295 4

Sérgio Alves e Osvaldo defendiam Ceará e Fortaleza, respectivamente, em 2009. Fotos: O POVO.

Em 2019, Ceará e Fortaleza estarão juntos representando o Estado na Série A do Campeonato Brasileiro. Ambos estrearam na temporada com vitórias na Copa do Nordeste. Na moda do desafio dos 10 anos (ou #10yearchallenge, na hashtag do termo em inglês), o Blog relembra aos torcedores de Ceará e Fortaleza com que escalações e como os clubes estrearam em 2009.

Há exatamente uma década, a realidade de ambos era totalmente diferente. Com problemas administrativos, estruturais e sobretudo financeiros, Alvinegros e Tricolores viviam épocas de dificuldades no planejamento e de elencos modestos.

Prova disso é que as escalações dos dois times no primeiro jogo realizado em 2009 contavam com algumas “pérolas”.

O Fortaleza estreou contra o Itapipoca com Douglas; Nerylon, (Elvis), Gilmak, Basílio e Eusébio; Leandro, Rogério (Guto), Wanderley e Rodrigo Mendes (Rodrigo Brasília); Cleiton e Osvaldo.

O Tricolor era comandado pelo técnico Casemiro Mior, que passou apenas 56 dias no comando e foi demitido após 12 jogos. Na estreia, goleada por 4 a 1, gols de Rogério, Wanderley, Osvaldo e Gilmak.

Já o Ceará também estreou com vitória, porém, com um placar mais apertado. Triunfo por 2 a 1 sobre o Quixadá, com gols de Misael e Fabrício. Dudu marcou para o Quixadá.

Na época, o Alvinegro era comandado pelo técnico Zé Teodoro, que escalou Adilson; Boiadeiro, Fabrício, Robson e Fábio Vidal; Erivélton (Luis Maranhão), Fábio Gomes, Alex Gaibu e Cadu (Deives); Sérgio Alves (Misael) e Alberto.

Edição do Jornal O POVO de 12 de janeiro de 2009 mostra as estreias de Fortaleza e Ceará.

 

Recomendado para você

4 Comentários

  • Advogado. Apenas. disse:

    A serie A está de volta ao Fortaleza. Um time com esse nome não pode pensar miúdo, o Fortaleza já nasceu GRANDE.
    Caiu como qualquer GIGANTE, padeceu muitas vezes, foi ferido, mas sua vocação é se superar.
    A história testemunha, todo o sofrimento foi dilacerado com o acesso irretocável, uma conquista gigante, proporcional ao Fortaleza, apenas 01 ano depois a auto estima tricolor encontra-se INTACTA, sem nenhuma rachadura.
    O amor e o orgulho foram até testados, mas permaneceram incólume.
    Em 34 rodadas colecionou marcas impressionantes e ascendeu.
    Fez do G4 sua morada, da liderança sua companheira inseparável, os jogadores viraram a consistência na base do talento.
    O Boeck é a personificação do próprio clube.
    Rogério Ceni, metódico, é de fazer inveja a qualquer aluno de Havard, e a torcida?
    Ah, e a torcida? os Tricolores foram a atração, fizeram shows e encantaram o mundo inteiro com seus mosaicos.
    E a campanha? Ah, a campanha do Fortaleza é REDENTORA, vale lembrar que o impublicável “vai morrer na série C” se transformou em time de série A, a série do FORTALEZA.
    Como na savana, o leão voltou, com seu imponente rugido, apresento-lhes: o FORTALEZA. E quem não conhece, que corra pras colinas!

  • GABRIEL DIAS disse:

    GOSTEI, ADVOGADO.
    MAIS UM POETA TRICOLOR!
    DEVE SER BOM DE COPO TAMBÉM.
    POR FALAR NISSO, QUANDO É QUE TERMINA A LEI SECA NO CASTELEÃO?
    SÓ AQUI QUE TEM ESSA HIPOCRISIA.
    SAUDAÇÕES TRICOLORES!

  • João Ximenes disse:

    LEÃO DE AÇO. Atualizando: 22.01.19.

    Goleiro – Boeck(33), Max Wallef(25), Felipe Alves(30), Matheus Jesus,
    Lateral Direito – Tinga(25), Diego Ferreira(22),
    Lateral Esquerdo – Bruno Melo(25), Carlinhos(32)
    Zagueiro – Patrick(24), Roger Carvalho(32), Juan Quintero(23),
    Volante – Felipe(23), Derley(32), Paulo Roberto(31), Sérgio, Santiago Romero(28), Gabriel Dias(24),
    Meia – Wesley(22 – base), Marlon(28), Madson(32), Tião(base),
    Atacante – Romarinho, Éderson(29), Júnior Santos(24), Edinho(23), Pedro Júnior(31), Matheus Alessandro(22),

    Técnico – ROGÉRIO CENI

    27 jogadores. Fosse hoje: Felipe Alves, Diego Ferreira, Juan Quinteiro, Roger Carvalho, Bruno; Felipe, Marlon, Madson; Éderson, Edinho, Júnior Santos.

    CADÊ O RESTO: zagueiros(3-dois canhotos um destro); meias(4- dois canhotos dois destros); volante e ataque(homem de área)… dá pra dar um tempo.

    Tá bem “pertin”. E se acertarem nas contratações… melhor vai ficar.

    Só ESPERO que o CENI MANTENHA uma BASE sempre que os 11 entrarem em campo.
    Falo isso porque teve time que estreou na temporada com 11 jogadores reservas, alegando OBSERVAR os caras.
    Tirar 11 e meter outros 11, é o mesmo que cagar e limpar com canjica, NÃO ADIANTA DE NADA, porque esses ditos cujos, diariamente, treinam sempre juntos(são reservas. E depois desse jogo, acabaram mais reservas ainda).

    Normal seria: tem 3 substituições na partida(no caso aqui eram 5), tira três(cinco) do time titular, leva pro banco de reservas pra o caso de necessidade de correr atrás, e testa três(cinco). MAS SEMPRE COM A BASE DO TIME TITULAR.
    #precisou, mas tavam na arquibancada olhando as redes sociais.
    RESULTADO: dançou(perdeu primeira taça do ano).

    # DEPOIS RECLAMAM QUE A TAL DA PRÉ-TEMPORADA FOI CURTA.

    Que comece logo essa Azona 19 !!!!!

  • Te cuida leãozinho pq vai entrar ja chibata kkkkk

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 10 =