Homem etc

NHANDEREKO – Festival de Música Indígena de São Paulo

NHANDEREKO –  Festival de Música Indígena de São Paulo, reúne a música tradicional praticada em cinco aldeias indígenas situadas no Estado de São Paulo. A trasmissão será pelo YouTube, de 18 a 23 de maio, de terça-feira a domingo,  às 20h .

Após uma profunda pesquisa foram selecionadas algumas aldeias de povos originários nas cidades de  São Vicente, Peruíbe, Eldorado Paulista, Cananéia e em São Paulo, no bairro de Jaraguá. Os cantos guaranis ecoam nas diferentes aldeias ressoando através da música, um universo complexo e rico,  que encanta pela tradição, apresentando a sua mitologia, costumes culturais e práticas rituais.

Ritmos, danças e vozes entoando em timbre único compõe um mosaico do que é, e de como se insere a atividade musical no dia a dia das aldeias no Estado de São Paulo. Divindades como Nhanderu e Tupã são celebradas em diferentes rituais musicais e danças que acontecem em seus locais sagrados nas aldeias.

“O projeto era um sonho antigo, há 17 anos, viajei a trabalho com um grupo de teatro e música por algumas aldeias do interior de São Paulo, Pará e do Nordeste. Fiquei encantado e pensei em realizar um festival, que através da Lei Aldir Blanc está sendo feito, com muito orgulho”, afirma Emerson Boy, idealizador do projeto Festival de Música Indígena.

É uma série composta por quatro episódios de cerca de 20 minutos, com captação de imagens em alta definição e no formato 4K. Cada episódio foi gravados nas próprias aldeias em casas de reza e espaços sagrados dos Guaranis: aqui um teaser do que vem por aí.

Serviço:

NHANDEREKO –  Festival de Música Indígena de São Paulo

Data: 18 a 23 de maio ( terça-feira a domingo)

Horário: 20h

Tempo de duração 20 minutos cada episódio

Tramsmissão: YouTube

Grátis

Concepção do músico e produtor musical: Emerson Boy

Direção, edição e fotografia do cineasta: Christian Saghaard

Coordenação musical: Livio Tragtenberg e Emerson Boy

Motion Design: Carla Sarmento

Captação de som: de Téo Ponciano

Censura: livre

O projeto foi contemplado pela Lei Aldir Blanc

Mais informações:

Instagram: @festmusindio

Facebook: @festmusindio

 

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *