ID

Clientes pedem vinho de R$ 1.343, garçom erra e serve um de 23 mil

À esquerda, o vinho pedido, de 260 libras. À direita, o vinho servido, de 4.500 libras

Clientes do restaurante Hawksmoor, em Manchester, no Reino Unido, viveram uma noite de luxo na quinta-feira, 16. Isso porque puderam desfrutar a refeição do estabelecimento, especializado em churrasco e bebidas, acompanhada de um vinho de R$ 1.352. Mas o luxo, na verdade, era maior ainda. Na mesa, foi servido um vinho de R$ 23 mil.

Os comensais pediram um vinho Bordeaux – Chateau Pichon Longueville Contesse de Lalande, por £ 260, a moeda corrente do país. Na cotação desta sexta-feira, 17, £ 1 vale R$ 5,2. Ou seja, o vinho pedido equivale a cerca de R$ 1.352.

O problema é que o funcionário que atendia a mesa lhes serviu, por engano, um Chateau le Pin Pomerol, vinho francês de 2001, vendido pela bagatela de 4.500 libras. Ou seja, cerca 23 mil reais. Em torno de 17 vezes o valor do vinho originalmente pedido. Quando o estabelecimento percebeu o erro, os clientes já estavam com o vinho nos copos.

O caso viralizou nas redes sociais do país após o próprio restaurante contar, de forma bem humorada, o ocorrido. Em uma postagem no Twitter, o Hawksmoor começa parabenizando a clientela privilegiada: “Para os clientes que acidentalmente receberam uma garrafa de Chateau le Pin Pomerol 2001, que custa £ 4.500 em nosso cardápio, ontem à noite – espero que vocês tenham aproveitado a noite!”. E completa: “Para o membro da nossa equipe que acidentalmente deu [o vinho errado], cabeça erguida!”.

Equipe de funcionários do Hawksmoor Manchester

As reações na internet também foram bem humoradas. No Twitter, uma usuária perguntou ao restaurante quem compra um vinho de 4.500 libras, no que a conta do Hawksmoor respondeu: “Literalmente ninguém”. Alguns usuários também questionaram que tipo de valores defende um estabelecimento que tem um vinho deste valor, e a marca respondeu que costuma colaborar com três organizações sociais – uma de combate à fome no mundo, uma de alimentação de pessoas em situação de rua em Manchester e outra de doação de roupas.

Como o erro foi da casa, os clientes, é claro, não precisaram pagar a conta do vinho. Só a refeição.

Recomendado para você