Leituras da Bel

Cinco livros de terror para morrer de medo!

*Por Mariana Amorim

Dentre todos os gêneros literários, os livros de terror tem um lugar especial na minha estante. Não sei ao certo como isso aconteceu ou porque, o fato é que os romances macabros conseguem me prender de uma forma única. Separei aqui cinco das últimas obras que li (e reli) e falei um pouquinho delas. Espero que gostem!

Bom dia, Verônica – de Andrea Kilmore, Editora Darkside
Sem dúvida, foi um dos livros mais apavorantes que já li. O lance é que Bom dia, Verônica mexe com o medo real de toda mulher: o abuso, o estrupo. O medo de ter o seu corpo violado. O livro narra a história de uma secretária da polícia, Verônica Torres, que, na mesma semana, presencia de forma chocante o suicídio de uma jovem e recebe uma ligação anônima de uma mulher desesperada clamando por sua vida. Nesse momento, ela percebe a oportunidade de mostrar sua competência como investigadora e acaba diante de um assassino em série e seu perigoso jogo. O livro é baseado em casos reais e intercala ficção com notícias de jornais. É tenso e assustador em todos os aspectos. Ah, vale ressaltar, é um trilher policial brasileiro. Leia resenha completa clicando aqui!

O Exorcista – de William Peter Blatty, Editora Harpercollins
O clássico dos livros e filmes de terror ganha o leitor pela narrativa sutil e direta. O romance conta a história de Regan MacNeil, uma garota de 12 anos que é possuída pelo demônio. O que me encantou no livro foi a simplicidade ao falar sobre satanismo e ocultismo. É praticamente impossível parar de ler. A obra ganha vida e, a cada página, nervos e calma são testados. O Exorcista é um dos romances mais polêmicos já escritos e tornou-se um fenômeno literário. Vale muito apena conhecer.

Stephen King

O Iluminado – Stephen King, Editora Suma
King é de longe um dos meus autores favoritos e o sua obra prima. O Iluminado é aterrorizante. O livro fala da luta entre dois mundo: o bem e o mal. A história narra a vida da família Torrance ao se mudar para um estranho e macabro hotel, onde Jack, o pai, irá trabalhar como zelador. Dany, o filho de apenas 5 anos, não quer ir pois sabe que coisas ruins irão acontecer a ele e a família naquele lugar. O desenrolar a trama nos faz questionar sobre se o mal é realmente só uma invenção ou se existem forças que não podemos compreender.

Frankenstein – Mary Shelley, Editora Darkside
Sempre que leio a história de Victor Frankenstein passo dias pensando no que o homem é capaz de fazer. A obra, narrada através de cartas escritas pelo capitão Robert Walton, fala sobre o cientista que deu vida a um cadáver e da disposição de pessoas comuns a fazerem coisas grandiosas e, por isso, deixarem de lado as consequências. Escrito entre 1816 e 1817 e publicado em 1818, o livro ainda surpreende. E perturba.

Raphael Monte

Jantar Secreto – Raphel Monte, Cia das Letras
Entre todos os tabus, Raphel Monte escolheu o canibalismo para chocar os seus leitores. Jantar Secreto conta a história de quatro amigos que estão tentando a vida no Rio de Janeiro. Passando por dificuldades financeiras, eles encontram a solução quando passam a promover jantares milionários servindo carne humana. Além da repulsa em imaginar a carne humana sendo preparada, ainda temos todo o suspense e tensão de como o quarteto consegue os corpos para cozinhar. Com uma escrita simples e direta, Rafael prende o leitor do começo ao fim. O tom de suas histórias lembra muito da obra de King. A referencia não podia ser melhor, concordam?

***

Mariana Amorim é jornalista, apaixonada por comunicação e envolvida com música! Acha que uma bela canção pode mudar o mundo. Coleciona livros, discos de vinil, imãs de geladeira e blocos de anotação. Apaixonada pelos garotos de Liverpool e pelo rapaz latino-americano. Assina os blogs Discografia e Memórias de Gaveta.

 

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *