Plínio Bortolotti

A próxima vítima

682 2

A ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, disse o seguinte a respeito da crise que abala o Senado:

«Tem uma prática no Brasil que não esta correta que, é achar que sempre que você pega uma pessoa e joga ela aos leões você está no caminho de solucionar as questões éticas. Colocar a culpa em uma pessoa por uma crise que tem mais de quinze anos não é certo […] Quem é responsável pelos contratos, pelas passagens, por tudo? Soube eu que os integrantes da primeira secretaria foram do DEM e estranhamente o DEM pede o afastamento do Sarney. Se a casa foi dirigida pelo DEM, o partido também tem que prestar contas.»

Quem poderia dizer que ela está errada?

Ninguém. É fato que as irregularidades do DEM e do PSDB estão fora da berlinda. Agora, isso não implica aliviar a responsabilidade de Sarney, como querem alguns aliados do governo.

Outros se queixam de uma aliança entre a oposição e “setores da imprena” para a produção de denúncias.

Quem poderia dizer que isso não acontece?

Ninguém. Agora isso vale em qualquer momento histórico. Quem está na situação é o telhado de vidro da vez. Certo ou errado, é assim que a banda toca. O PT já foi malho, agora é bigorna.  “Setores da imprensa” já lhe acudiram, agora o cutucam.

Outros dizem que a enxurrada de denúncias tem a ver com a disputa à Presidência de 2010.

Quem pode dizer que isso é mentira?

Ninguém. Mas os políticos – de oposição ou de situação – são assim mesmo: estão sempre pensando na próxima eleição. Certo ou errado, é assim que caminha a humanidade.

Outro dizem que se faz carga em cima de Sarney pelo papel de destaque que ele ocupa como presidente do Senado.

Quem poderia discordar?

Ninguém. Mas – para o bem ou para o mal – e assim que funciona a narrativa jornalística. Pega-se quem está em evidência. Os supostos malfeitos de Renan Calheiros, depois de apeado da Presidência do senado, evaporaram-se.  O “deputado do castelo”, hoje é nota de pé de página dos jornais.

Mas não são os políticos que podem reclamar disso, a não ser que haja alguma mentira nas publicações. Se eles não cometessem irregularidades, não haveria matéria-prima para a “imprensa sensacionalista”.

Agora é fato, quando alguém é escolhido como a Geni da vez, o sujeito pode preparar os couros. Hoje é Sarney, amanhã será uma próxima vítima, como modo de dizer, pois, de regra, tais “vítimas” também têm culpa no cartório.

Recomendado para você

2 Comentários

  • Renato Sousa disse:

    Plínio, a Ministra Dilma “santinho” Roussef e José “mensalão não existiu” Dirceu esqueceram de combinar as FALAS com o senador, do seu partido, Tião Viana, VIDE VEJA.

    P.S. Caso a “SANTINHA” seja eleita, tenha certeza, o posicionamento adotado por Oscar(POST anterior) será “PRAXE”… “SANTINHO”, quem foi que te deu essa informação para voce falar mal do governo, “FALA, SANTINHO”….

  • Leonardo Ribeiro disse:

    Boas palavras, Plínio.
    O que me deixa insatisfeito é que as “manobras”, as irregularidades, os apadrinhamentos e coisa e tal só aparecem depois que o caldo já está grosso; gostarei de saber o que impede que a iniquidade seja desvendada em seu nascedouro.
    Nesse conflito, a CPI das ONG´s está estagnada, a da Petrobras caminha para o espaço e ainda há quem defenda uma outra para apurar tantas informações.

    Feliz cada novo dia…

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *