Plínio Bortolotti

Antonina do Norte será “adotada” por movimento de combate à corrupção

A partir da esquerda: eu, Cícero Júnior (diretor do Movimento Popular Alerta Antonina do Norte - MOPAAN), Francisco Fernandes (presidente do MOPAAN) e Francisco de Assis (coordenador da Ação Cearense de Combate à Corrupção e à Impunidade - ACCI). Foto de Marcos Campos

Recebi hoje, no O POVO,  a visita de Francisco de Assis (diretor da Ação Cearense de Combate à Corrupção e à Impunidade – ACCI), Francisco Fernandes (presidente do Movimento Popular Alerta Antonina do Norte (MOPAAN) e Cícero Júnior (diretor do MOPAAN).

Eles vieram divulgar a campanha “Todos contra a corrupção”, criado pelo projeto “Adote um Município” (A1M), que estará em Antonina do Norte em 27 de agosto. Antonina do Norte será o primeiro município do Ceará a ser adotado pelo projeto do Instituto de Fiscalização e Controle (IFC).

Nesse dia, em Antonina, haverá audiência com o promotor e o juiz da cidade, audiência na Câmara dos Vereadores, audiência com o prefeito da cidade e audiência pública no colégio Antônio Mota.

O que é o projeto Adote um Município?

O projeto Adote um Município (A1M) é uma iniciativa de combate à corrupção criada pela União dos Auditores Federais de Controle Externo (Auditar), entidade representativa dos servidores do Tribunal de Contas da União, em parceria com a ONG Amigos Associados de Ribeirão Bonito (Amarribo), que conta com o apoio de diversas outras entidades.

Apesar de contar com o apoio de servidores públicos na qualidade de voluntários, trata-se de uma iniciativa coordenada por entidades da sociedade civil organizada. Para isso o A1M criou uma sistemática na qual participam pessoas da comunidade e funcionários públicos da área de controle de finanças.

Com a finalidade de melhor desenvolver o projeto, as entidades parceiras criaram o Instituto de Fiscalização e Controle  (IFC), que é o responsável por sua execução. [Informações da pagina do Instituto Ethos, onde se poderá ver com funciona o projeto.]

O objetivo central é o combate à corrupção, fazendo a fiscalização e formando voluntários para que estes tenham mais condições técnicas participar do controle das contas públicas.

Recomendado para você