Plínio Bortolotti

O “politicamente correto” dá-se o direito de “corrigir” Bertolt Brecht

425 3

Clique para ampliar

O PT da cidade do Eusébio (CE), no seu afã politicamente correto, deu-se o direito de “corrigir” um pensamento/poema de Bertolt Brech, o dramaturgo e poeta alemão.

Além da tradução, digamos, inusual, enfiaram um “mulheres” de contrabando, inexistente na frase original.

Espera-se que essa corrente de pensamento não faça uma proposta equivalente ao do “Ministério da Verdade” (1984, de George Orwel), cuja tarefa era reescrever continuamente a história ao gosto do “Grande Irmão”.

Veja a traduação mais usada do texto de Brecht

Há homens que lutam um dia, e são bons;
Há outros que lutam um ano, e são melhores;
Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons;
Porém há os que lutam toda a vida
Estes são os imprescindíveis

Recomendado para você

3 Comentários

  • Bosco disse:

    “O políticamente correto é um avanço, mas torna-se um perigo quando cai nas mãos de pessoas burras”.

    Paulo Ghiraldelli Jr. filósofo paulista, prof da UFRJ.

  • Antonio disse:

    Plínio,

    Eles esqueceram de fazer a concordância no poema todo.

    Por exemplo: em “há os que lutam muitos dias.”, falta o feminino: “há as que lutam muitos dias.”

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + dezessete =