Plínio Bortolotti

Ruas privatizadas e evento sem controle, na confusa Fortaleza

Evento no ginásio Paulo Sarasate congestiona ruas e incomoda moradores; em PM e nem AMC apareceram para organizar o trânsito

A seção “Fortaleza Terra de Ninguém” anda um pouco adormecida, mas coincidentemente esta semana recebi contribuição de dois leitores.

Paulo Sarasate

Rua privatizada, na rua Oswaldo Cruz (em frente aos Correios), esquina com a Tomás Acioli

Um deles comenta [primeira foto] um evento ocorrido no dia 28 de fevereiro, no ginásio Paulo Sarasate. As ruas em trono do ginásio, principalmente a rua Ildefonso Albano e a avenida Heráclito Graça, ficaram um verdadeiro caos, por volta das 21h30min, conforme relata o leitor. Segundo ele, não havia nenhum carro da polícia, “e muito menos agentes da AMC”, tendo se formado um “engarrafamento enorme”.

Sem PM e sem AMC

O leitor diz não saber que tipo de evento acontecia, “mas se usou um equipamento público (o ginásio), a prefeitura deveria estar informada. Se estava, por que não mandou agente de trânsito? Se mandou, por que eles não organizaram o trânsito nas vias em torno do evento?”

Ficam as perguntas, espera-se a resposta

O outro leitor mostra [segunda foto] um fato lamentável e muito comum em Fortaleza. Comércios (lojas, bares, restaurantes, etc.) que privatizam a rua demarcando-a com cones, de modo a impedir o estacionamento em locais permitidos e, diga-se, públicos. Ou seja, para usufruto de qualquer cidadão, nos termos da lei.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *