Plínio Bortolotti

“Ciço na guerra dos rebeldes” – O Padre Cícero de Flávio Paiva

CiçoÉ claro que os romeirinhos do Padre Cícero são íntimos do santo e sabem que a batina preta fechada até o pescoço, o cajado de patriarca bíblico e o semblante cerrado das imagens não correspondem completamente àquele homem que aproximou Deus da dura labuta dos viventes nordestinos.

Cícero
Também, para que não conhece a história do moço rebelde, que não se enquadrava aos rigores de uma igreja mais preocupada com seus ritos do que com as almas sofredores, achará que Cícero Romão Batista era apenas um fanático a conduzir outros fanáticos.

Santo popular
É a humanização desse santo popular, que desnecessita da canonização do Vaticano para entronizar-se nos altares e nos corações de seus fiéis, que se vê em Ciço na guera dos rebeldes (editora Cortez), de Flávio Paiva.

Ecologia
Defensor das matas e dos bichos, conselheiro e consolador, um amigo a quem se pode sempre apelar (pois continua intercedendo no céu), aquele que nunca abandonou a fé em Deus e nem nos homens: esse é o Padre Cícero que Paiva apresenta a jovens e adultos, em um texto que, garanto, depois de começado não há como deixar de prosseguir.

Lançamento:
24/3/2014 – segunda-feira, 19horas
Mambembe Casa de Arte
Rua dos Tabajaras, 368 – Praia de Iracema (Fortaleza)
Com exposição fotográfica de Raíssa Veloso
Mais: Raíssa, Flávio.

 

 

Recomendado para você