Política

A estranha ausência de Renato Roseno

225 1
Renato Roseno não disputará neste ano Prefeitura de Fortaleza

Renato Roseno não disputará neste ano Prefeitura de Fortaleza

O atual momento político, de descrédito nos partidos considerados tradicionais, é cenário perfeito para a ascensão de forças mais identificadas com a ética e que, há tempos, criticam o modelo vigente de campanha eleitoral. O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) percebeu essa oportunidade e lançará fortes candidaturas em quase todas as principais capitais do País. Eu disse “quase” porque a sigla em Fortaleza decidiu seguir outros rumos.

Enquanto em cidades como Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro e Belém, o Psol colocou figuras com expressivo potencial de votos – Luciana Genro, Luiza Erundina, Marcelo Freixo e Edmilson Rodrigues, respectivamente – , na capital cearense resolveu apostar na candidatura do vereador João Alfredo. Nada contra o nome do parlamentar. Pelo contrário, tem história, é preparado e irá qualificar o debate. Mas não restam dúvidas que o deputado estadual Renato Roseno, pelas expressivas votações que teve em Fortaleza nas últimas eleições, teria condições mais claras de lutar pela vitória.

São os números que balizam essa análise. Em 2014, por exemplo, Roseno foi o terceiro candidato a deputado estadual mais votado em Fortaleza, com 47,5 mil votos, ficando atrás apenas de Capitão Wagner (102,1 mil votos) e Heitor Férrer (78,6 mil votos), ambos atualmente pré-candidatos a prefeito. Para nível de comparação, Elmano de Freitas, que dois antes conseguiu chegar ao segundo turno na disputa pelo Paço Municipal, conquistou apenas 28,8 mil votos na Capital na eleição para a Assembleia Legislativa. Em 2012, quando concorreu à Prefeitura de Fortaleza, Renato Roseno ficou no respeitável quarto lugar com 148,1 mil votos, bem à frente de nomes como Marcos Cals e Inácio Arruda, que tiveram campanhas muito mais estruturadas. O resultado é mais que o dobro da quantidade conquistada pelo pessolista nas eleições municipais de 2008: 67 mil.

Ou seja, Roseno representaria uma candidatura mais robusta, tendo a seu favor um expressivo recall e tornando a corrida pelo Executivo bem mais imprevisível. Resta a João Alfredo tentar conquistar essa confiança já depositada por parte da cidade em seu correligionário. Há um longo caminho pela frente.

Recomendado para você

1 comentário

  • Braga disse:

    O Brasileiro não deve nunca mais entrar em aventuras. Eleger esse pessoal que é contra os empresários é um suicídio para os mais pobres que precisam trabalhar. Quem dá emprego é empresário e não a língua desse falastrões.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *