Política

Disputa pela presidência municipal do PT divide grupos pró e contra RC

207 1

Deodato e Acrísio disputam comando do PT de Fortaleza (Fotos: Divulgação)

Marcada para o próximo dia 8 de abril, a eleição para a presidência do PT de Fortaleza divide correntes contrárias e favoráveis à aproximação do partido com o prefeito Roberto Cláudio (PDT). Concorrem ao cargo o vereador Acrísio Sena e os ex-vereadores Deodato Ramalho e Vicente Pinto.

Ligado ao grupo do governador Camilo Santana (PT), Acrísio foi contra candidatura própria do PT nas eleições para a Prefeitura de Fortaleza no ano passado. Ele defendeu o apoio a RC já no primeiro turno e, atualmente vem atuando como parte da base do prefeito na Câmara Municipal.

Ele tem o apoio do presidente estadual da legenda, Francisco De Assis Diniz. “Na nossa visão, nós temos que, à luz do projeto nacional e estadual de aliança com o PDT, ter uma política clara de diálogo e debate também no âmbito de Fortaleza”, defende. 

Já Deodato faz parte do grupo da deputada federal Luizianne Lins e do deputado estadual e atual presidente municipal da sigla Elmano de Freitas. Ele comunga da visão de que o PT deve atuar como oposição ao prefeito, como forma de manter a “coerência com a história do partido e com o resultado da eleição de 2016″. 

Não podemos contribuir com o processo de descrédito dos partidos políticos fingindo que nós não tivemos um processo eleitoral em que o nosso projeto foi derrotado pelo projeto do RC”, defende Deodato. Ele também conta com o apoio do vereador Guilherme Sampaio e do senador José Pimentel. Já Dr. Vicente terá chapa pura com o Movimento PT, na qual integra o deputado Federal José Airton.

Renovação do PT

Ambos defendem que sua posição representaria uma renovação do PT, que perdeu representação na Câmara Municipal nas eleições do ano passado e vem enfrentando crise de confiabilidade em todo o País.

Acrísio argumenta que aproximação do PDT garante ao partido uma política coerente com o debate estadual e municipal, enquanto Deodato defende que manter a oposição é essencial para o fortalecimento da militância do PT. “Evidentemente que temos de estar antenados com a disputa nacional, mas o que vai resgatar nossa credibilidade passa por uma postura de respeito às nossas mais sagradas bandeiras”, defende o ex-vereador.

Eleição

Ontem foi o último dia para inscrever o nome para concorrer ao cargo de presidente do Diretório Municipal do PT. O 1º turno do Processo de Eleição Direta (PED) acontece no dia 9 de abril.

Quem primeiro lançou seu nome à disputa foi Deodato, que tentava até esta segunda atrair grupo de Acrísio para o seu lado, sem sucesso. Ele tem a maioria das correntes do PT ao seu lado, que defendem a postura de oposição a RC.

Recomendado para você

1 comentário

  • Claudio Mendes disse:

    Essa briga por presidência de partidos políticos é simplesmente pelo salário do cargo que não é menos que 20 000 reais.Belo material pra Imprensa investigar,assim como a prestação de contas de campanhas políticas de candidatos de quem nunca ouvimos falar.Imoralidade.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × dois =