Política

Como os deputados cearenses justificaram voto da denúncia contra Temer

497 1

Câmara dos Deputados arquivou denúncia contra Temer (Foto: Agência Brasil)

Na sessão que decidiu arquivamento da denúncia contra Michel Temer (PMDB), cada deputado federal teve tempo de 15 segundos para proferir seu voto. Entre o deputados cearenses, houve quem aproveitou o tempo para criticar o presidente ou para comparar caso com o impeachment de Dilma Rousseff (PT), e quem optou por apenas pronunciar, rapidamente, sua posição. Veja os pronunciamentos dos cearenses:

“Autorizar a análise desta denúncia é permitir o devido curso da justiça, as votações que estamos tendo aqui estão transformando essa casa em um ‘vergonhódromo’. Voto não ao relatório”. André Figueiredo (PDT)

“Sim”. Aníbal Gomes (PMDB)

“Ariosto Holanda vota não”. Ariosto Holanda (PDT)

“Eu estou deputado, mas sou policial. E como policial, não posso ser contra uma investigação. Sim à investigação, não ao relatório”. Cabo Sabino (PR)

“Eu fui escolhido pelo povo, se eu fui escolhido pelo povo, tenho que votar pelo povo. Por isso, não”. Chico Lopes (PCdoB)

“Quando a vítima vira algoz, muitas vezes ela passa agir pelo ódio, e agindo pelo ódio, ela não tem capacidade de julgar. Eu me lembro aqui da história da cueca, dos dólares na cueca do assessor do deputado José Guimarães, quando foi colocado para ele a possibilidade de ser cassado pela Assembleia Legislativa do Estado do Ceará e como eu o defendi naquele momento, porque não havia provas para cassá-lo. Também não posso hoje prejulgar o presidente da República. Diante disso, eu voto sim”. Danilo Forte (PSB)

“No ano passado, muitos nesta casa defenderam que se afastar um presidente era necessária grande substância jurídica. Encontramos mais uma vez em um momento de afastamento, uma denúncia ainda muito mais frágil que o processo de impeachment. Tenho certeza que a tentativa de tirar um presidente, que a investigação acontecerá no fim do mandato, antecipar esse fim será uma incoerência e pode ser chamado até de contra-gole. Eu voto sim ao relatório”. Domingos Neto

“Pela estabilidade econômica e a volta do emprego no nosso Brasil, meu voto é sim com o relator”. Genecias Noronha (SD)

“Pela melhora dos índices da economia, eu voto sim pelo Brasil”. Gorete Pereira (PR)

“Nós vivemos um momento de extrema tristeza para o nosso País e para o mundo, porque o Brasil se tornou uma potência, uma referência internacionalmente, porque infelizmente com uma presidente honesta e correta cometeram um golpe parlamentar. Precisamos passar o Brasil a limpo, por isso voto contra o relatório porque eu sou a favor da investigação”. José Airton (PT)

“Não à reforma da Previdência, não à reforma trabalhista, pela democracia e dignidade da reforma trabalhista, meu voto acompanha 93% dos brasileiros que querem o ‘fora, Temer’ e as diretas já”. José Guimarães (PT)

“Eu voto para abrir o processo contra o presidente da República Michel Temer, ou ‘Michel Fora Temer’. Meu voto é não, como é a vontade da maioria do povo brasileiro”. Leônidas Cristino (PDT)

“Primeiramente ‘fora, Temer’. Pelo povo do meu Ceará, pelo povo brasileiro, contra a reforma da Previdência, para que esse País possa sonhar em reencontrar com a esperança, eu voto não ao presidente golpista Michel Temer”. Luizianne Lins (PT)

“Eu voto com o relator, meu voto é sim”. Macêdo (PP)

“Eu voto com o relator, sim”. Moses Rodrigues (PMDB)

“Contra o congelamento de recursos da educação por 20 anos, contra a reforma da Previdência, para que o povo participe da solução da grande crise desse País, meu voto é não”. Odorico Monteiro (PSB)

“Voto sim com a orientação do meu partido”. Paulo Henrique Lustosa (PMDB)

“Voto pela abertura da investigação, voto não”. Ronaldo Martins (PRTB)

“Voto com meu partido, meu voto é sim”. Vaidon Oliveira (DEM)

“Doa a quem doer, representando meu estado do Ceara, cidades como Fortaleza, minha querida Caucaia, eu voto a favor da investigação, ninguém está acima da lei”. Vitor Valim (PMDB)

Recomendado para você

1 comentário

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *