Política

Projeto obriga escolas e faculdades estaduais a terem acervo de Bíblias no Ceará

581 14
Bruno Pedrosa destaca importância da presença da Bíblia cristã no ambiente escolar (Foto: Divulgação)

Bruno Pedrosa destaca importância da presença da Bíblia cristã no ambiente escolar (Foto: Divulgação/AL-CE)

Projeto que obriga escolas da rede estadual do Ceará a disponibilizarem exemplares da Bíblia Sagrada do cristianismo no acervo começou a tramitar na Assembleia. Segundo o texto, escolas de nível fundamental e médio, de educação profissional e de ensino superior serão obrigadas a ter, no mínimo, sete exemplares – o número sagrado – em suas bibliotecas.

Autor da proposta, Bruno Pedrosa (PSC) justifica o projeto destacando que a Bíblia “é o documento de maior abrangência que a humanidade produziu”. “É o documento público para toda a humanidade e que reflete sua influência em toda a cultura ocidental, penetrando seus temas na literatura, na música, nos ditos populares, nas artes plásticas, cinema, etc”, diz.

Para o deputado, disponibilizar a Bíblia cristã em bibliotecas é medida relevante para todos os estudantes, pois o livro “expressa muito mais do que o pensamento de uma determinada religião, mas também uma fonte de pesquisa histórica, um conjunto de livros repletos de gêneros textuais variados e, claro, uma grande fonte de sabedoria e autoconhecimento”.

“A Bíblia Sagrada é uma das obras mais lidas em todo o mundo devido seu caráter histórico em retratar acontecimentos marcantes para a humanidade, esperamos contar com o apoio dos senhores parlamentares para a aprovação deste projeto”, justifica, afirmando que ação busca apenas disponibilizar bíblias, e não “impor” o seu ensino.

Apresentado nesta sexta, o projeto será enviado para a Procuradoria Legislativa da Casa, que emitirá parecer sobre a admissibilidade do projeto. Caso receba o aval do órgão técnico, o projeto segue para as comissões da Casa e para votação no plenário.

Recomendado para você

14 Comentários

  • Jefferson219 disse:

    É uma verdadeira palhaçada. Primeiro obstruem a discussão política nas escolas sob a pecha da “doutrinação partidária”. Na sequencia manipulam a boa fé do povo tentando empurrar dogmas nas escolas. E isso tudo paralelo a destruição de direitos trabalhistas, previdenciários e da perseguição aos servidores públicos. Tempos bizarros !

  • Antonio disse:

    E o Estado laico?
    Como assim?
    Sem entender a necessidade desse projeto.
    É assim que esse povo julga relevância de necessidades à população?
    Existem demandas mais urgentes pra sociedade cearense.
    Só acho…

  • franse disse:

    Boa idéia.
    A Bíblia é uma Biblioteca de Sumo Valor, pelos diversos ângulos de análise.
    E, como livro em biblioteca, lê quem quer, nada a opor.
    Eu Leio.
    Todos devemos ler.
    Quem não quiser ler, fique no Zap zapeando….

    • Ze das Couves disse:

      Também acho, a Bíblia é legal, tem a estória do cara que colocou mais de 3 milhões de espécies em um barco, uma Virgem fecundada, uma cobra é uma jumenta falante, ixi, sem falar num monte de sacanagem.

    • Luís disse:

      E o $$$ pra custear essas compras vai sair do bolso de quem crer e quem não crer. E VC acha tudo blz! Eu descarrego 250 gramas mais valiosos que a briba toda manhã no vaso sanitário.
      Eu leio coisa séria. Quem quiser ler porcaria que leia, mas compre seu livro com seu dindin como eu faço.

  • Vitor disse:

    O projeto é discutível sob vários aspectos, sobretudo quanto à necessidade de uma lei para tanto. Mas dizer que “viola o estado laico” é a maior bobagem. Tem um certo tipo de gente que basta você dizer a palavra “Deus” ou “Bíblia” que já começa a gritar que “o estado é laico”, como se laicismo fosse sinônimo de proibição da religião, e não de garantia de inviolabilidade dos cultos e de crenças. Com efeito, estado laico é o oposto de estado confessional (aquele que só reconhece determinada religião), pois reconhece todas, adotando uma postura absenteísta. O que alguns querem é instituir um estado ateu, no qual é proibido professar publicamente a fé, devendo a manifestação dela ficar confinada a recintos privados. Nem precisa dizer que essa é uma concepção extremamente autoritária.

    • Antonio Carlos Lobo disse:

      O laicismo não é proibição de nenhuma religião e muito menos o Estado optar por uma qualquer. O laicismo coloca o Estado distante de qualquer religião, em respeito aos grupos minoritários, que devem ser respeitados em todo os seus aspectos. É primário, de sua parte, confundir Estado laico de Estado Ateu. Partindo desse princípio, os órgãos públicos deveriam ter um espaço reservado a todos os credos, inclusive o ateismo.

  • Antonio Carlos Lobo disse:

    O Estado é laico, não pode haver opção por qualquer espécie de religião. O próprio autor da proposta, Bruno Pedrosa (PSC), fundamenta o absurdo que é: “… justifica o projeto destacando que a Bíblia “é o documento de maior abrangência que a humanidade produziu”. “É o documento público para toda a humanidade e QUE REFLETE SUA INFLUÊNCIA EM TODA A CULTURA OCIDENTAL, penetrando seus temas na literatura, na música, nos ditos populares, nas artes plásticas, cinema, etc.”. Ou seja, existem outras religiões não cristãs que devem ser respeitadas.

  • Stravinski Pereira disse:

    Então, que obriguem também a ter livros de umbanda e candomblé, o Alcorão do islã, o Bhaghavad Gitã do Induísmo, As obras completas de Allan Kardec e Livros de Chico Xavier, livros de budismo etc.

    Estado Laico não é Estado ateu, mas um Estado que engloba todas as religiões.

    São contra o Escola Sem Partido, mas tem uma bancada evangélica e o Partido Social Cristão, DEM, PMDB, Doutora Silvana e outros atrasos civilizacionais…

  • José Ailton dos Santos disse:

    Eiii não vão dar direito a ter também sete exemplares do Alcorão. Sete do Livro da Igreja de Cristo e Santos do últimos dias. Sete do evangelho segundo o espiritismo.etc….porque só a Bíblia..

  • Wando Augusto disse:

    Só uma pessoa com atraso republicano e ético vota nesta tal de doutora silvana. Não conheço um projeto de melhoria da urbanidade vindo desta senhora. nada de moradia, saúde, segurança, educação, meio ambiente. um poço de demagogia que só legisla em causa p´ropria, em nome de projetos atrasados e vazios de c onteúdo. e o pior é que por conta da vontade de um bando de ignorantes, todo o ceará ´paga o pato. é muito indigesto de aguentar essa criatura…

  • Alcides Ziemniczak disse:

    Não seria caso de pedir exame de sanidade mental para o autor e a quem mais votar nesse projeto?

  • Nailton disse:

    Esse eu aprovo, bela iniciativa.

  • Mário Ângelo Freitas disse:

    Um povo sem fé e sem rumo o resultado é este desastre que vemos todos os dias. Violência crescente rumo a um mundo sem Deus. Vai ser triste o fim da nossa humanidade.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *