Política

Tasso Jereissati votou a favor de Aécio Neves; José Pimentel contra

721 17
Decisão do Senado manteve Aécio Neves no Senado (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Decisão do Senado manteve Aécio Neves no exercício do cargo (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Entre a bancada de três senadores do Ceará, apenas Tasso Jereissati (PSDB) votou nesta terça-feira pela rejeição de medidas cautelares determinadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Por 44 votos a 26, o plenário decidiu derrubar medidas como o afastamento do senador e seu recolhimento noturno. Nesta quarta-feira, o senador já pode retomar as atividades normalmente, após aparecer em gravações pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, dono da JBS.

Em orientação contra as cautelares, Tasso argumentou que Aécio não pode ser condenado pois ainda recorre do caso no Supremo. “É difícil para mim, como senador, e para todos os nossos companheiros, entender que se condene qualquer pessoa que seja (…), que sequer teve o direito de defesa”, disse.

Eunício e Pimentel

José Pimentel (PT), por outro lado, votou “sim” pelo deferimento das medidas contra o senador mineiro. Como é o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB) não participou da votação. Senador que só votaria no caso de empate no plenário, o peemedebista atuou nos bastidores, no entanto, para viabilizar votação pró-Aécio desta terça.

Maioria dos senadores entendeu que, como o mandato de senador é conferido pelo povo, decisão do STF representaria indevida intervenção do Judiciário sobre o Legislativo. O mesmo entendimento foi consolidado semana passada em votação no próprio Supremo.

Recomendado para você

17 Comentários

  • Expedito R Sousa Filho disse:

    Heitor Ferrer, esse que vota para restituir mandato de bandido é o novo para o Governo do Estado do Ceará???? Tome vergonha!!!!!

  • Duarte disse:

    “Eunício não participou da votação”?! Ah, não?! E aquelas imagens, na tv, do temer saindo de uma “reunião” na casa do eunício, acha que foi pra quê?

    • Carlos Mazza disse:

      A matéria destaca que Eunício atuou para viabilizar a votação. Porém, ele não participou dela. Como é presidente do Senado, ficou para ele apenas o “voto de Minerva” no caso de empate.

  • Jefferson219 disse:

    Esse tasso é o câncer do ceará. A incapacidade do povo em renovar a política é algo impressionante e ainda mais incrível quando se trata de pessoas “carentes” que votam em quem definitivamente não os representa. Salvo nas época das eleições.

  • Zé Bob disse:

    Todo aquele que protege bandido, para mim, é bandido também. Aécio tem denúncias junto à justiça e tem medo de se defender, portanto, tem culpa. Eticamente, político não deveria sentir-se preso ao cargo que ocupa, desocupando-o, ou pedindo afastamento das funções, no primeiro questionamento que fosse feito, a fim de defender-se como qualquer pessoa honesta. Tasso não me representa e tem a minha reprovação. Umas das coisas que não aconteceu até agora foi os dirigentes de partido pedirem desculpas à população por este mar de sujeira e corrupção e apresentarem planos concretos de combate a isso dentro do partido. Ao contrário, usam do cargo ou função para esconderem crimes contra o patrimônio e ainda legislam especificamente para os seus interesses.

  • JerônimoJJ disse:

    o mandato de senador é conferido pelo povo neste momento quem é o povo que confere este mandato.. já que a maioria dos senadores votaram a favor de Aécio, os senhores tem certeza que a maioria dos brasileiros concordam com os atos criminosos e as provas que a PF e MPF dizem que tem contra Aécio..

  • JerônimoJJ disse:

    A sociedade brasileira pede socorro: quem devemos procurar e que poderes: Legislativo, Executivo e/ou Judiciário…A CIDADANIA E A CONCIDADANIA brasileira pede socorro constitucional, institucional para os DIREITOS BÁSICO COLETIVOS…. O Brasil neste momento estar passando por uma crise não econômica, não religiosa, não familiar e se uma crise política sem procedência… que é a mais trágica; dramático, catastrófico, calamitosa, desastrosa do antes do hoje e se projeta para o amanhã…momento muito difisismo é da política que sai as boa ou mar leis diacordo com comportamento dos parlamentares vamos ter uma vida de qualidade ou não.. Quem nega direitos nega vida!

  • Wando Augusto disse:

    Muito bem, Senador José Pimentel! Entrou com dignidade e sai da política com dignidade! Ergueu a previdência social, garantiu superavit, agora vota mais uma vez junto com o povo brasileiro e de seu Estado. Vai fazer falta na politica.

  • DADO disse:

    Essa baboseira do Tasso Jereissati para justificar seu voto não convence ninguém. Naquela votação se decidia apenas se as medidas cautelares eram razoáveis para o flagrante de corrupção que foi vítima o Aécio. A sessão não iria condenar ninguém , e nem o senado tem essa competência. Confirmado seu afastamento aí ele iria continuar seu direito de defesa como já vem fazendo. O Tasso continua o velho Tasso de guerra.

  • Ferreira disse:

    E lamentável o que estamos vivenciado hoje em dia na política não sabemos mais em quem recorrer nos momentos de aflição pois ate mesmo o supremo acovardou se perante aos usurpadores que usam de artimanhas para passar por coitadinhos onde prevalece o nada vi ,e o nada sei , ate quando iremos compactuar com tamanha vergonha e o que iremos dizer aos nossos filhos no futuro, que simplesmente assim como a justiça andamos com a venda nos olhos.

  • DADO disse:

    A verdade é que aquela votação era apenas para criar um jurisprudência no senado para evitar que futuras decisões do STF alcançasse mais gente no covil de ladrões que se tornou o outrora respeitável senado da república. Optaram pelo caminho da omissão, que paguem pelo custo político disso e dos que vierem. Uma vergonha ouvir senadores falarem de soberania popular depois de terem cassado uma presidente, essa sim, sem motivo, e eleita, apesar de tudo, pelo voto popular. Enquanto que o Temer, que não foi eleito pelo voto popular, a grosso modo, pois no brasil ninguém olha para o vice, está aí com todos os motivos para ser afastado do cargo e sempre absolvido pelo parlamento com louvores. Só espero que os eleitores olhem na próxima eleição para os caciques que estão patrocinando todo esse estado de degeneração da política e sigam o slogam: NÃO VOTO EM CACIQUE.

  • Augusto disse:

    Não vejo nada demais o Tasso votar no Aécio. Se a condenada fosse a Gleisi Hoffman o Pimentel votaria a favor dela também. Questões partidárias.

  • DADO disse:

    Se não fosse o pedido feito pela REDE ao STF para que a votação fosse aberta, pois o senhores senadores não queriam que suas digitais fosse identificadas nesse crime praticado contra a nação, nem saberíamos hoje qual o tamanho da parte podre e atrasada do senado. Sim senhores, somos como garanguejo, um país que anda para trás em todos os sentidos. Sou brasileiro que tem vergonha, apesar de amar esse país tropical, dos seus homens e mulheres que insistem no caminho da falta de ética e da moral. Até quando? E o pior é que os males maiores ainda não passaram, viram outros por aí. Fôssemos um povo de sangue quente já teríamos feito justiça com as próprias mãos como outros povos mais civilizados na falta de obediência a lei.

  • DADO disse:

    Vendo hoje os fatos creio que toda essa armação se deu com o “alvará de soltura” e homologadora de corrupção que foi a “Constituição de 1988”, feita ilegalmente por um Congresso investido de poder constituinte, e como não poderia deixar de fazer legislou em causa própria instituindo os “foros privilegiados”, “imunidades parlamentares”, imunidade do executivo para responder por crimes, além do principal, todo o traçado do sistema político corrupto que temos hoje, dentre outros incabíveis privilégios. Constituição essa havida como cidadã e quem tem servido para chancelar toda a sorte de desmandos no país. Já foi passada a hora de escrevermos uma nova constituição feita por uma Assembléia Nacional Constituinte exclusiva eleita pelo povo. Onde estão os homens e mulheres éticos do nosso país? debaixo das camas? escondidos atrás da porta?. Não tivemos nossos momentos de país decente, inclusive com o nosso cognominado “Anos Dourados”? Não podemos reaver o que perdemos?

  • J. Filho disse:

    Além da corrupção desenfreada, ele sugeriu o assassinato do próprio primo, em outras palavras, “queima de arquivo”. Ainda acha pouco, Sr. Jereissati? E imaginar que esse sujeito quase foi eleito presidente…

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *