Política

Ciro acusa Wagner de proteger “milícias da PM”, e deputado rebate: “Desequilibrado”

Ciro é o cadidato do PDT à presidência da República (FOTO:Fabio Lima/ O POVO)

O presidenciável Ciro Gomes (PDT), em entrevista à Globo News nesta quarta-feira, 1°, acusou políticos cearenses de protegerem “milícias da Polícia Militar”. “Hoje você tem soldado vereador, cabo deputado federal, capitão deputado estadual protegendo as milícias da Polícia”, disse Ciro sem citar nomes, mas em clara referência ao deputado federal Cabo Sabino (Avante), o deputado estadual Capitão Wagner (Pros) e o vereador Soldado Noélio (Pros).

Na ocasião, Ciro respondeu a questionamento sobre a situação da segurança pública no Ceará e falou sobre o desenvolvimento das facções criminosas no Estado. “Virou um verdadeiro genocídio e terror e, em cima disso, nasce a flor do lodo: uma fração de milícias da Polícia Militar — que o meu irmão (ex-governador Cid Gomes), ao invés de reprimir, o que eu teria feito, deixou por negócio de direitos humanos, tolerância e não sei o quê — virou líder político”, afirmou.

Em resposta à declaração, Wagner subiu à tribuna da Assembleia Legislativa (AL-CE) nesta quinta-feira, 2, e chamou Ciro de “desequilibrado” e de “frouxo”. “Como é que um desequilibrado desses quer governar um país do tamanho do Brasil com a complexidade que existe?”, acusou o deputado, relembrando as ocasiões em que o presidenciável chamou o vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM) de “capitão do mato” e promotora que pediu que esse caso fosse investigado. 

“É o mesmo desequilibrado e frouxo que disse que se fossem prender o (ex-presidente) Lula, ia sequestrar o Lula. ‘Cadê’? É blefe?”, continuou Wagner, que disse que Ciro tem uma “paixão retraída” por ele. Ao fim, ainda agradeceu, afirmando que ganhou projeção nacional com a declaração. “Todo o mundo quer saber quem é o capitão que o Ciro não gosta”, disse.

Não é a primeira vez que Ciro associa Wagner a milícias na Polícia Militar. No início deste ano, ele foi condenado na justiça a pagar R$ 30,6 por acusações a Wagner nas redes sociais. Na mensagem que motivou a ação, Ciro acusa Wagner de “chefiar milícia” na Polícia Militar do Ceará e o chama de “frouxo” e de “fuxiqueiro”.

 

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 15 =