Política

Em sabatina, Ciro chama facção cearense de “grupo de abestados”

Ciro Gomes (PDT) durante sabatina com presidenciáveis no Jornal Nacional (Foto: reprodução do vídeo)

Em entrevista com candidatos à Presidência no “Jornal Nacional”, da Rede Globo, na noite desta segunda-feira, Ciro Gomes (PDT) disse que o aumento da violência no Ceará é resultado da chegada das facções criminosas ao Estado.

Primeiro da série de sabatinas realizadas pela emissora na corrida eleitoral, o ex-governador afirmou que as gestões do irmão Cid Gomes (PDT) à frente do governo estadual multiplicaram o efetivo policial.

“Todo o investimento foi feito”, respondeu o candidato. “O susto lá (no Ceará) é que nossa polícia evidentemente não estava preparada para esse tipo de crime.”

De acordo com o pedetista, as “facções criminosas só serão eficazmente combatidas com o governo federal tomando para si essa tarefa”.

Questionado sobre a atuação da Guardiões do Estado (GDE), facção que estaria por trás da chacina das Cajazeiras (14 mortos em janeiro último) e cuja origem está no Ceará, o candidato falou que se tratava de um “grupo de abestados”.

Tudo morrendo com 20 anos, 19 anos, pra fazer serviço pra esse PCC”, acrescentou o postulante.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *