Política

PT dobra repasses para a candidatura de Camilo à reeleição ao Governo

Camilo Santana (PT) participa de ato na Praça do Ferreira ao lado de Fernando Haddad, vice na chapa de Lula (Foto: Júlio Caesar/O POVO)

O PT dobrou repasse do fundo especial de campanha para a candidatura de Camilo Santana (PT) ao Governo do Estado.

Agora, o governador soma R$ 1.405.883 em recursos arrecadados, pouco mais da metade (55,39%) oriunda do partido.

Até o último fim de semana, no entanto, o petista só havia recebido R$ 392.941,50 da própria legenda, em depósito feito no dia 29 de agosto via diretório nacional.

O valor é inferior ao repassado pela direção da sigla para candidaturas de menor porte, como as dos deputados federais e candidatos a novo mandato José Guimarães, com R$ 450 mil, e Luizianne Lins, com R$ 500 mil.

Nessa segunda-feira, dia 10, o PT fez nova doação de R$ 392.941,50 para Camilo, que totaliza R$ 785.883 em verbas do fundo especial para a campanha.

Entre governadores do partido que disputam a reeleição, todavia, a cota de Camilo é a mais baixa.

Candidato em Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) já conta com R$ 1.206.666,67, distribuídos em dois repasses do fundo especial nos dias 28 e 31 de agosto.

No Piauí, Wellington Dias (PT) recebeu R$ 882.500, divididos em cifras encaminhadas pelos diretórios nacional e estadual – dois repasses de R$ 400 mil, nos dias 29/8 e 10/9, e um de R$ 82,5 mil, no dia 29/8.

Governador da Bahia e na briga por novo mandato, Rui Costa (PT) recebeu R$ 1.210.653,33. Do valor, R$ 710.653,33 saíram do diretório nacional no dia 24 de agosto em recursos do fundo especial. E mais R$ 500 mil do diretório estadual no dia 6/9.

Desse grupo de petistas, Camilo foi o único a faltar a eventos de lançamento da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

No dia 4 de agosto, data em que o partido oficializou o ex-presidente como candidato à Presidência em ato em São Paulo, Camilo participava na capital cearense da convenção que lançou a campanha de Eunício Oliveira (MDB) à recondução para o Senado.

Parte do grupo dos Ferreira Gomes, que tem Ciro como nome à Presidência, o governador vem tentando se equilibrar na corda bamba da disputa nacional.

Durante a passagem de Fernando Haddad (PT) por Fortaleza uma semana atrás, o governador defendeu a liberdade de Lula em discurso na Praça do Ferreira e desejou sorte ao vice na chapa. Mas se esquivou de pedir votos tanto para Haddad quanto para Lula.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *