Política

Bolsonaro recebe apenas dois votos entre detentas de presídio feminino

2829 5

Presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) aparece apenas em terceiro lugar entre mulheres privadas de liberdade no Ceará (Foto: Agência Brasil)

Das 184 internas aptas a votar no Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa (IPF), em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza), apenas duas escolheram Jair Bolsonaro (PSL) como candidato a presidente.

Na unidade penitenciária, que tem cerca de 900 detentas, o campeão de votos foi o petista Fernando Haddad, com 95 sufrágios.

Se dependesse apenas das mulheres privadas de liberdade no Ceará, o ex-prefeito de São Paulo enfrentaria no segundo turno o ex-presidenciável Ciro Gomes, do PDT.

Terceiro colocado na disputa nacional, com 12% da preferência dos brasileiros, o pedetista superou Bolsonaro no presídio: teve 12 vezes o número de votos do capitão reformado.

Ao menos entre as eleitoras do IPF, o tucano Geraldo Alckmin está empatado com o militar na preferência. Ex-governador de São Paulo, o paulista recebeu dois sufrágios.

Única candidata mulher na corrida ao Palácio do Planalto, Marina Silva (Rede), que encerrou as eleições com 1%, também teve perfomance apagada na unidade prisional – a ex-senadora não conquistou um único voto.

Outros dois esquecidos pelas eleitoras do Auri Moura Costa, Cabo Daciolo (Patriota) e Guilherme Boulos (Psol) não foram destinatários de nenhum voto.

Candidato de Michel Temer (MDB), o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles foi agraciado com um voto solitário, aproximando-se de Bolsonaro.

Os dados utilizados nesta matéria estão disponíveis para consulta pública no site do Tribunal Regional Eleitoral (TER).

Em 2018, o Auri Moura Costa foi a única unidade do sistema penitenciário do Ceará autorizada a participar do processo eleitoral.

A cada pleito, a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) analisa o grau de segurança dos presídios da rede antes de decidir que unidades serão liberadas.

Reportagem do O POVO de setembro deste ano mostrou que “o número de detentos mortos em unidades do Ceará cresceu 88,89% se comparados os oito primeiros meses de 2017 e o mesmo período de 2018”.

“Neste ano”, segue a matéria, “foram 34 mortes de janeiro a agosto; em 2017, foram 18 em igual período”.

No ano passado, foram registradas 38 mortes de presos no Estado. Os dados são da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

A população carcerária do Ceará é de aproximadamente 30 mil presos.

Em todo o Estado, Ciro foi o mais votado, com 40% da preferência do eleitor. Haddad amealhou 33% ante 21% de Bolsonaro.

A maior rejeição do candidato do PSL está entre o segmento das mulheres, que representam 52% do eleitorado brasileiro.

Recomendado para você

5 Comentários

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *