Política

Lula nunca disse que Marisa vendia Avon; Bolsonaro nunca votou contra deficientes

6409 2

Lula (PT) nunca disse que a ex-primeira-dama Marisa Letícia somou patrimônio milionário vendendo produtos da Avon. Jair Bolsonaro (PSL) nunca votou contra o Estatuto da Pessoa com Deficiência. Ambas as informações são falsas, e são hoje duas das fake news mais insistentemente repercutidas nas redes. Como as pessoas parecem só ler o que as convém, resolvi unir as duas informações na mesma matéria.

Marisa e a Avon

O boato em torno de Marisa Letícia, falecida em 2017, circula nas redes desde o ano passado. Na mensagem, o ex-presidente é acusado de ter dito em depoimento que os R$ 11 milhões do inventário da família Lula da Silva teriam sido obtidos com a venda de produtos Avon. Em todos os depoimentos de Lula na Justiça, não há qualquer menção ao fato ou à marca de cosméticos. Em algumas versões, o boato ainda confunde o patrimônio do casal com o patrimônio de Marisa, ampliando a falsidade.

O boato voltou a circular nas redes principalmente após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontar que a atual primeira-dama, Michelle Bolsonaro, recebeu repasse de R$ 24 mil de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL). Em comentários de notícias no Facebook, é comum ver internautas simpáticos ao presidente rebaterem a acusação com questionamentos sobre a ausência de apurações da “fortuna” de Marisa. É mentira, pare de compartilhar isso.

Bolsonaro e pessoas com deficiência

Do outro lado do espectro político, circula também boato que afirma que Jair Bolsonaro teria votado contra o Estatuto da Pessoa com Deficiência, aprovado em 2015. A mentira chegou a ser reproduzida no Twitter da campanha de Fernando Haddad (PT) no ano passado, mas foi retirada do ar. Na realidade, Bolsonaro votou contra uma emenda específica dentro do projeto, e não contra a lei em si, que foi aprovada por votação simbólica – ou seja, unânime.

O “gancho” mais atual para a volta do boato ocorreu durante a posse do novo presidente, em 1º de janeiro, quando a primeira-dama Michelle Bolsonaro chamou a atenção ao fazer um discurso inclusivo, em libras, durante a cerimônia. Nas redes sociais, diversas pessoas usavam a informação mentirosa para acusar o presidente de usar da pauta inclusiva para fazer demagogia, enquanto ele teria atuado para prejudicar pessoas com deficiência. É mentira, pare de compartilhar isso.

Recomendado para você

2 Comentários

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *