Política

A disputa pela imagem de Camilo começou (parte 2)

Peça de campanha veiculada nas redes sociais de Luizianne

A resposta não demorou: questionado sobre o uso de sua imagem pela candidata Luizianne Lins (PT) na campanha à Prefeitura de Fortaleza, o governador petista Camilo Santana foi enfático: “Eu quero dizer que todos sabem da minha parceria administrativa com Roberto Cláudio, um amigo, um grande prefeito”.

E, para que não restasse dúvida, completou: “Aliás, não só uma parceria administrativa, mas uma parceria política com o PDT no Ceará, minha vice-governadora é do PDT”.

Camilo não disse novidades. Reafirmou o que já se sabe no mercado político local e nacional: seu negócio é com o PDT. Seus esforços para que os dois partidos lançassem um candidato são prova disso.

A dúvida é saber quem deve levar vantagem com o eleitorado nessa disputa entre o uso da imagem e a palavra do petista, já que ao PDT restam manifestações públicas de apoio como essa de agora, durante a inauguração do IJF 2.

Avaliando-se de outro modo: ao dizer que esperava a participação de Camilo na campanha, Luizianne sabia que não a teria. A declaração se destinava a criar fato político. Abrir portas ao correligionário, ainda que somente no campo do discurso, era, de alguma maneira, uma forma de ligá-lo a ela.

E, embora tenha dito com todas as letras que é um aliado de RC, que por sua vez é aliado de Sarto, Camilo não pode desautorizar o próprio partido a se servir da imagem do governador ou trombetear os avanços do Governo do Estado.

Afinal, diga-se o que se disser, quem senta na cadeira de chefe do Abolição é um petista.

Sobre isso, a campanha de Sarto, ainda que conte com um vice indicado por Camilo, pode fazer muito pouco. O governador está impedido de pedir voto para o pedetista ou manifestar simpatias pela chapa.

É verdade que tampouco deve fazê-lo a favor de Luizianne (não porque não possa, mas porque não queira), mas é possível que a candidata se dê por satisfeita com o retrato sorridente de Camilo ao fundo espalhado pelos quatro cantos da cidade.

Portanto, tem-se, de um lado, a imagem largamente disseminada de Camilo e Luizianne, nas redes e nas ruas, e, do outro, declarações reiteradas do governador nos eventos que transcorrem simultaneamente à campanha, além da parceria assentada com o prefeito nos últimos anos.

Como ferramenta eleitoral na briga pela sucessão, o que terá mais eficácia?

É o que vamos descobrir nas próximas semanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *