Ancoradouro

Bento XVI anima a viver Eurocopa 2012 em espírito de paz e alegria

Papa Bento XVI afirmou que a Igreja não pode permanecer indiferente diante de eventos como a Eurocopa 2012, que será inaugurada nesta sexta-feira, 8, e convidou os participantes e o público em geral a viver esta competição esportiva em espírito de paz e de alegria.

O Papa pronunciou estas palavras em uma mensagem enviada ao Presidente da Conferência Episcopal Polonesa, Dom Józef Michalik, com motivo da Eurocopa 2012 que será disputada na Polônia e na Ucrânia de 8 de junho a 1 de julho.

Conforme informou a Rádio Vaticano, o Santo Padre assinalou que se trata de um evento que envolve não só a atletas e aficionados, mas também a vida e a sociedade de diferentes países e diante do qual a Igreja não pode permanecer indiferente.

Nesse sentido, o Papa recordou as palavras do Beato João Paulo II –um grande fã do futebol que praticou o esporte na posição de goleiro–, quem afirmava que “o esporte é importante para o desenvolvimento integral da pessoa e um elemento muito útil para a construção de uma sociedade à medida do homem. O sentido de fraternidade, a generosidade, a honestidade e o respeito pelo corpo ajudam a construir uma sociedade civil onde o antagonismo é substituído por uma sã concorrência, e onde o encontro é preferível ao conflito”.

Desta maneira, explicou Bento XVI, o esporte “não são um fim a mas um meio, pode chegar a ser um veículo de civilização, animando as pessoas a pôr no campo o melhor de si mesmas e a rejeitar o que poderia ser perigoso ou até gravemente prejudicial para si mesmas ou para os demais”.

Os esportes de equipe, indicou o Papa, são “uma escola importante para educar o sentido do respeito pelos demais, inclusive ao adversário esportivo; ajudam o espírito de sacrifício pessoal pelo bem de todo o grupo; melhoram as relações dentro da equipe”.

Além disso, concluiu, o esporte ajuda a superar “a lógica do individualismo e do egoísmo, que frequentemente caracteriza as relações humanas, para dar capacidade à lógica da fraternidade e do amor, que é a única que permite promover –em todos os níveis– o verdadeiro bem comum”.

Notícia plugada da AciDigital.