Discografia

Música em Cores: Pra iluminar a Cidade

11423038845_3839c31bcb_oQuarenta e dois anos não foram suficientes para o Brasil entender Jorge Mautner. Talvez essa tenha sido sua real maldição, viver à margem de uma produção musical cada vez mais voltada para a cintura e menos para o cérebro. Mas ele vai muito bem, obrigado. Desde que lançou o disco de estreia, o catártico Pra iluminar a cidade, este carioca quase europeu mantém seu nome entre a intelectualidade brasileira como palestrante, músico, poeta, escritor e filósofo. De uma forma ou de outra, tudo isso se confunde em suas aparições. E, aqui, digo aparições por que um show de Jorge Mautner não é só um show. É um happening, um acontecimento que reúne diversos ramos do conhecimento.

Gravado ao vivo, aquele disco de 1972 já anunciava isto tudo. Ali já estava o violino meio torto, como se fosse inspirado na aba dos chapéus dos malandros cariocas. Também estava ali a voz de modulações particulares, que desliza pela garganta como o arco sobre as cordas do mesmo violino. As letras rápidas de mensagens loucas, o clima lisérgico. Faltou apenas a presença fundamental do mestre Nelson Jacobina, parceiro fiel de tantas aventuras musicais.

Nas palavras do amigo Caetano Veloso, convidado para prefaciar Pra iluminar a cidade, Mautner não tem medo de parecer ridículo. Parece agressivo, mas quando se ouve uma música falando sobre a iminência de matar uma barata, passa-se a entender o baiano. Sem medo de nada, a música deste filho do Holocausto passeia por marchinhas carnavalescas, rocks lisérgicos, samba canções, bossas e literatura beat. Tudo com a personalidade exata que só os mestres podem conseguir.

Faixas de Pra iluminar a cidade:

1. Super mulher (Jorge Mautner)
2. Olhar bestial (Jorge Mautner)
3. Estrela da noite (Jorge Mautner)
4. Chuva princesa (Jorge Mautner)
5. Anjo infernal (Jorge Mautner)
6. Quero ser locomotiva (Jorge Mautner)
7. Sheridan square (Jorge Mautner)
8. From faraway (Caetano Veloso/ Jorge Mautner)
9. Sapo caruru (Folclore)

>> Anjo infernal (Jorge Mautner) por Carlus Campos

anjoINFERNAL