Leituras da Bel

Paginário: um livro feito de sonhos, mãos dadas, presenças, ausências e aprendizados

Você sabe o que é um Paginário? Para 23 autores cearenses que lançaram a obra no Espaço O POVO de Cultura & Arte, ele representa a realização de um sonho. Publicado pelo Selo Editorial Aliás – iniciativa da qual muito me orgulho de ser integrante – o livro tem capa da Raisa Christina e está disponível para comercialização em lugares incríveis – como a Livraria Lamarca. Por ter participado do processo de confecção e costura do livro, eu não vou emitir opiniões sobre os textos. Me mantendo isenta. Por isso, convidei dois autores para falar um pouquinho sobre a obra. “Uma coletânea de narrativas publicada pela editora Aliás em 2019. E também o conjunto de livros (de páginas) que já lemos ao longo das nossas vidas e que levamos dentro de nós; são as histórias que de uma forma ou outra nos marcaram. Nosso histórico literário”, diz a escritora Yvonne Miller quando indagada sobre os significados da obra.

“Os textos escritos durante a oficina que resultou no Paginário, foram escritos em um momento de muita tensão política para a classe artística que estava envolvida no projeto. Outubro de 2018, o mês que nunca acabou. Então, acredito que foram, para todos ali, exercícios de escrita muito íntimos, elaborados à flor da pele, com muita emoção, temores e algo mais que hoje vejo como resistência e que tinham como temática a literatura, algo tão forte e comum a nós. Houve choro e conforto entre os autores do livro. Posso descrever a experiência como um ode à literatura em tempos difíceis”, explica o escritor e “paginarista” Thiago Noronha.

Thiago completa: “Eu já tenho alguns trabalhos publicados, mas cada livro é uma obra e a sensação de “trazê-los” a vida será sempre distinta. Acho que deveríamos ser uma sociedade que “parisse” mais livros. Um livro, um mergulho na narrativa alheira, é capaz de mudar um leitor para sempre. Cada livro é um momento e um encontro de seu autor ou autores”.

Yvonne Miller (foto: Pâmela Cariri)

A oficina de escrita criativa foi ministrada por Anna K Lima – autora de um livro quase homônimo, o Claviculário. “Dos dois textos meus que tem no livro, um é o resultado dum exercício que a Anna K passou durante a oficina: escrever uma carta a mim mesma daqui a dez anos (ótimo exercício de escrita, por certo!). Naquela época – em plena campanha eleitoral de 2018 – estava carregada de muitas emoções e andava com os nervos à flor da pele. E na hora de escrever a carta, essas sensações simplesmente burbulharam de dentro de mim e se manifestaram no papel: insegurança, preocupação, desconfiança, medo, indignação. Lembrei da Alemanha nos anos 30. Lembrei da Marielle. Lembrei da minha sorte de ter nascido numa democracia. Lembrei que (por esse motivo e outros) devo muito ao Banco da Sorte e que, pelo visto, tinha chegado a hora de devolver o crédito. Escolhi minha forma de pagamento: em papel e nas ruas. Então minha escrita, tanto a carta quanto o outro texto do Paginário, faz parte dessa minha devolução ao universo, para que outras e outros também possam usufruir da sorte e dos privilégios que um dia, por puro acaso, me foram concedidos a mim”, explica a escritora Yvonne Miller.

Conheça os autores de Paginário:

Ana Argentina Castro Sales, Antonia Gabriela de Araújo Alves, Delma Fonteles, Delmisa Fonteles, Domingos Sávio Mariano Filho, Fabrício Saldanha Arnaldo, Francisca Maria Alcântara de Holanda, Gálbia Angélica Goiana da Silva, Jessika Thaís Sampaio Lopes, João Manoel da Silva Queiroz, Jose Flávio Januário Dos Santos Filho, Juliana Braga Guedes, Liliana Ricardo Alves, Lisiane de Oliveira Forte, Magda Helena de Araújo Maya, Marcello Camelo Ancanfor Magalhães, Pâmela Cardozo Soares, Rafael de Mesquita F. Freitas, Rebeca Maria Gadelha Mendes Matias, Thiago Noronha Pinto, Tania Maria Castro Sales, Yvonne Miller e Neyara Furtado Lopes.

Serviço
Paginário
Quanto:R$25

Recomendado para você