Política

Luizianne apresenta recurso por candidatura do PT ao Senado

6179 13

Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

A deputada federal Luizianne Lins, membro da Executiva Nacional do PT, assinou, junto com demais integrantes do partido no Ceará, um recurso que será apresentado nesta quinta-feira, 2, ao Diretório Nacional da legenda, em São Paulo, contra a decisão do PT local de não aprovar candidatura ao Senado.

Entre os argumentos redigidos no documento, estão a alta popularidade do ex-presidente no Ceará, e por isso a necessidade de um palanque, a crítica em relação aos interesses estritamente locais, em razão da negativa pela manutenção da vaga da sigla no Senado, e o apoio indireto ao senador Eunício Oliveira (MDB).

“Não podemos esquecer que o MDB de Temer, principal articulador do golpe juntamente com Eduardo Cunha, conspirou com o PSDB e executou o plano que derrubou o governo legítimo da nossa presidenta Dilma Rousseff, com voto favorável do senador Eunício Oliveira”, diz trecho do documento.

A decisão de não lançar nome do partido ao Senado, acaba abrindo caminho para reeleição do presidente do Congresso Nacional. Na base de Camilo Santana (PT) o assunto já é pacificado. O governador contra-argumenta a movimentação de reversão da decisão local em âmbito nacional ao ressaltar a decisão “democrática” que os delegados do PT no Ceará enfrentaram a situação.

“Todo mundo tem direito de questionar. Foi uma decisão tomada de forma muito democrática. 75% dos delegados estaduais aprovaram a resolução. Espero que a decisão da maioria democraticamente decidiu seja mantida”, declarou o petista.

De acordo com a deputada Luizianne, a estratégia recursal tem base em um entendimento nacional do partido de manter as vagas já ocupadas pela legenda. “Nesse recurso a gente vai estar recorrendo à instância do Diretório Nacional se possível ao Encontro Nacional que será no sábado, 4, para rever a decisão e lançar um candidato ao Senado do Partido dos Trabalhadores”, disse.

“E nós fazemos isso porque acreditamos que o partido não pode diminuir de tamanho. Nós temos uma vaga já de Senado, ocupada pelo José Pimentel, e acreditamos que essa vaga não pode sair do PT porque a orientação da Executiva do PT é nenhuma vaga a menos, e, além disso, que a gente amplie a possibilidade os espaços do PT na Câmara e no Senado”, acrescentou a ex-prefeita.

Recomendado para você