Política

Camilo Santana vai subir no palanque de Ciro Gomes no próximo sábado?

Ciro Gomes e Camilo Santana visitam Lula em São Paulo no ano passado (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

Definida a data de lançamento da candidatura de Ciro Gomes (PDT) em Fortaleza (sábado, dia 18), a pergunta que ronda a cabeça de petistas e pedetistas no Ceará é uma só: aliado do presidenciável, o governador Camilo Santana (PT) vai subir no palanque de Ciro?

Convidado a participar do encontro, que reúne a cúpula do PDT nacional e estadual, além dos irmãos Cid, Ciro e Ivo Gomes, Camilo pode encarar uma saia-justa nos próximos dias.

Se se negar a tomar parte na agenda cirista, deixará de prestar apoio ao grupo responsável pela sua eleição ao Governo do Estado em 2014.

Caso atenda ao chamado do PDT e compareça ao evento, entretanto, o petista vai de encontro às diretrizes da legenda da qual faz parte, indiretamente demonstrando que pode estar ao lado do candidato pedetista.

Duas semanas atrás, no dia 4 de agosto, o PT lançou, em ato oficial em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o nome da sigla na corrida eleitoral. Do PT, Camilo foi o único chefe de Executivo estadual a não estar presente.

No mesmo dia e horário, o governador declarava voto em Eunício Oliveira na convenção do senador em Fortaleza – o emedebista, que se reaproximou do governismo, concorre à reeleição.

No dia seguinte, 5/8, em discurso na convenção da coligação oficial que tem PT e PDT entre seus componentes, Camilo não faria qualquer menção a Lula. Os irmãos Ferreira Gomes faltaram ao evento.

No Ceará, os dois partidos tentam encontrar um meio termo para a campanha presidencial, já que defendem duas candidaturas diferentes, mas dispõem de um único palanque – o de Camilo.

Internamente, o PT pressiona o governador para que ele se manifeste publicamente e se declare eleitor de Lula, postura que Camilo tem evitado nas últimas semanas.

Em entrevista ao O POVO na última sexta-feira, o deputado federal José Guimarães (PT) disse que o partido “não abrirá mão do apoio do governador ao candidato nacional” da agremiação.

O parlamentar defendeu que Camilo terá de fazer as “mediações” necessárias para que Lula ou o indicado para substituí-lo na disputa não fique sem palanque no Ceará.

O encontro do próximo sábado é a largada oficial da campanha de Ciro num estado cujo eleitorado vota majoritariamente em Lula.

No último evento do PDT na Capital, exatamente um mês atrás, dia 13/7, foi Camilo quem desfalcou o time dos aliados, que se reuniram no Pirata Bar.

O prazo final para registro das candidaturas é quarta-feira desta semana. A partir de quinta, dia 16, os partidos e candidatos estão liberados para pedir diretamente o voto do eleitor.

Recomendado para você