Veia Esportiva

Seleção Brasileira: A esperança na era Tite

Tite comandando um treino tático na Seleção Brasileira. (Créditos: Lucas Figueiredo/CBF)

Tite comandando um treino tático na Seleção Brasileira. (Créditos: Lucas Figueiredo/CBF)

Após uma longa caminhada vivida pelo técnico Dunga a serviço da Seleção Brasileira, os laços começaram a se romper depois das últimas experiências do ex-técnico com a Amarelinha. Atualmente, a Seleção começa uma nova etapa, uma nova história, e para isso ser possível, foi preciso ter um novo técnico: “Seja bem-vindo, Tite!”

Dunga e a Seleção
Carlos Caetano Bledorn Verri, o Dunga, começou sua trajetória na Seleção Brasileira em 2006, ano que foi chamado para substituir Carlos Alberto Parreira, que até então, era técnico do time.

No comando da Amarelinha, Dunga conquistou alguns títulos e deixou de ganhar outros. Em 2007, conquistou a Copa América, e em 2009, a Copa das Confederações. Porém, em 2010, o Brasil foi eliminado na Copa do Mundo, e Dunga deixou da Seleção. Retornou em 2014 para comandar mais uma vez a equipe brasileira, substituindo Luiz Felipe Scolari.

Um novo (re)começo
Após a eliminação da Seleção Brasileira ainda na primeira fase da Copa América Centenário, o treinador Dunga foi demitido em 14 de junho deste ano. No mesmo dia, à noite, Tite participou de reunião com dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol para negociar sua contratação para o cargo. No dia 20 de junho, foi confirmado como novo treinador da Seleção.

A era Tite
Tite já havia sido chamado para comandar a Seleção Brasileira, mas não havia aceitado. Após a “queda” de Dunga, o convite é feito mais uma vez… Depois de alguns dias de negociação e suspense, o “sim” que já era esperado por todos, veio.

Em seu primeiro jogo pela Seleção Brasileira, ainda não dá para comparar com o técnico anterior ou afirmar que a equipe está bem melhor com ele. Mas, mesmo assim, a vitória por 3 a 0 sobre o Equador teve um efeito revigorante à Seleção e exorcizou alguns fantasmas que assombraram o antecessor, abrindo uma nova perspectiva e acendendo uma chama de esperança no torcedor.

O que nos resta é esperar os próximos jogos, torcer para que o peso da Amarelinha seja forte o suficiente para mudar o jeito de jogar dos jogadores e que Tite consiga alavancar a Seleção, para que os brasileiros voltem a ter gosto em assistir um jogo do Brasil, sem aquela sensação que “todo dia é um 7×1 diferente”.

A derrota para Alemanha na Copa do Mundo de 2014, em casa, foi um trauma para os torcedores brasileiros e isso também faz pesar sobre as costas de Tite uma grande responsabilidade, uma cobrança que ele já sabia que enfrentaria.

Um pouco mais de Tite
Tite conquistou o Campeonato Brasileiro de 2011, no comando do Corinthians. Em 2012, consagra o Clube com um título inédito, de maneira invicta: A Copa Libertadores da América, vencendo o Boca Juniors, por 2 a 0. Com o título, Tite foi eleito o melhor técnico da Copa Libertadores da América de 2012.

Recomendado para você